A gravidez protege a saúde do coração

Vilma Medina Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Engravidar é a melhor notícia que um casal pode receber. Não somente por esperar um filho, uma nova vida, mas também porque a gestação pode prolongar a esperança de vida da mãe, uma vez que a gravidez protege a saúde do coração, de acordo com as últimas pesquisas.

Este benefício se deve a que a interação sanguínea entre a mãe e o feto faz com que as células cardíacas se regenerem e previne uma possível doença cardiovascular.

O número de gravidezes melhora a saúde cardiovascular

a-gravidez-protege-a-saúde-do-coração A

Durante a gravidez o coração da mãe deve aumentar o seu esforço em cerca de 50%, já que o seu corpo sofre mudanças fisiológicas em que o sistema cardiovascular deverá se adaptar. Como explica a Sociedade Espanhola de Cardiologia (SEC), na gravidez o volume sanguíneo aumenta, a frequência cardíaca e o gasto cardíaco (quantidade de sangue expulsa do coração). Além disso, acontece uma queda da pressão arterial, tanto a sistólica (durante as contrações do coração), quanto a diastólica (com o coração em repouso). 

Um estudo feito pela Mount Sinai School of Medicine (EUA) com ratos, provou estes benefícios provocando infartos em fêmeas gestantes sadias. Os pesquisadores comprovaram como as células do feto viajavam até o tecido prejudicado para substituí-lo e viram que 2% das células do coração materno lesionado provinham do feto. Ainda que a existência de um intercâmbio de células entre mãe e filho, ou microquimerismo, já é conhecida há alguns anos, os resultados deste estudo poderiam abrir uma nova via de investigação na área das células-mãe e a regeneração cardíaca. 

Por outro lado, parece que o número de gravidezes também influencia na saúde cardiovascular. De modo que, segundo um estudo da Universidade da Califórnia, se uma mulher multípara está relacionada com um baixo risco de sofre de uma doença cardiovascular. Graças à exposição de uma grande quantidade de estrógenos e outros hormônios gerados durante as gravidezes, as mulheres pós-menopáusicas com quatro ou mais gravidezes teriam uma maior proteção cardiovascular. 

No entanto, para evitar complicações, a Sociedade Espanhola de Cardiologia (SEC) recomenda às gestantes, e especialmente às que já apresenta cardiopatias, vigiar constantemente a pressão arterial e até anotar em um caderno os números para manter um controle. Além disso, ter uma dieta baixa em sal, deixar de fumar e levar uma vida o mais saudável possível.

Marisol Nuevo

Redatora de Guiainfantil.com