Precauções com os medicamentos na gravidez

Por que se deve tomar cuidado com os antiinflamatórios durante a gestação

Vilma Medina Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Grande parte das gestantes toma algum remédio durante a gravidez, ou porque já tomavam antes por causa de alguma patologia prévia ou por recomendação. Assim, calcula-se que mais de 80% das gestantes já tomou algum remédio durante sua gravidez.

Nunca é recomendável se automedicar, mas especialmente na gravidez, já que a gestação implica em mudanças importantes que podem afetar a ação dos ditos remédios ou por causa da saúde do bebê. 

A prescrição de remédios durante a gravidez

precauções-com-os-medicamentos-na-gravidez A 

O que o médico pensa na hora de prescrever ou avaliar um medicamento já prescrito a uma gestante? 

- Uma vez estando a par da gravidez, os medicamentos que a mulher tomava anteriormente serão avaliados. Alguns medicamentos são contra-indicados desde o início da gravidez.

- Prescrever somente os remédios absolutamente necessários. 

- Procurar não prescrever remédios no primeiro trimestre, o momento mais delicado e quando se deve ter mais cuidado com alguns medicamentos. 

- Usar remédios constatados como seguros na gravidez, usando sempre que for possível a alternativa medicamentosa que tenha menos riscos. 

- Usar a dose do remédio a qual seja eficaz para a gestante.

- Prestar atenção especialmente às possíveis contra-indicações. 

Os antiinflamatórios na gestação

Um dos remédios com mais frequentemente utilizados na automedicação são os analgésicos ou antiinflamatórios. São utilizados para tratar a sintomatologia de outras doenças infecciosas, traumáticas, etc. (inflamação de garganta, ciática, lombalgia, dor de cabeça), por isso a sua utilização em algum momento da gravidez é habitual.

O remédio de escolha geral como analgésico e antipirético é o paracetamol, ainda que não seja aconselhado o seu emprego em tratamentos prolongados com doses elevadas. O uso da aspirina não é aconselhável, e outros como o ibuprofeno, naproxeno, diclofenaco e metamizol devem ser avaliados cuidadosamente para o seu emprego na gravidez. 

Os remédios analgésicos derivados do opiáceo (morfina, codeína) podem ser utilizados durante os dois primeiros trimestres da gravidez (mas, é desaconselhável o seu uso durante o último trimestre por causa do risco de provocar problemas respiratórios no recém-nascido). 

É especialmente importante comentar com o seu médico se você toma remédios para a enxaqueca, pois muitos deles estão contra-indicados, já que contém muito risco de produzir malformações no bebê. 

Julita Fernández

Matrona

Professora de Dança Oriental para gestantes

Especialista em treinamento aquático para gestantes