Obesidade em bebês

Riscos de sofrer obesidade na infância

Vilma Medina

Vilma Medina

A obesidade é um transtorno não muito frequente em bebês antes dos seis meses, quando se alimentam exclusivamente com o leite materno ou leite de fórmula. No entanto, já é frequente encontrar bebês que sofrem de obesidade a partir desta idade, momento em que se começa a introduzir a alimentação complementar. 

Como saber se o meu bebê tem obesidade? Segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde), quando o peso do bebê é 20% superior ao peso ideal, de acordo com as tabelas de percentuais. 

Riscos e problemas de ter um filho com obesidade

obesidade-em-bebês A 

A principal causa da obesidade em bebês é devido a erros na hora de alimentar ao bebê. Ou a mãe dá grandes quantidades de comida, ou alguns alimentos são introduzidos antes do tempo ou oferece muito doce para a criança. Tudo isso faz com que aumente de peso, sobretudo nessas etapas em que sua mobilidade é reduzida e não realiza exercícios físicos

Não são casos frequentes, mas crianças amamentadas exclusivamente com leite materno também podem apresentar obesidade, já que muitas vezes as mamães oferecem o peito à criança cada vez que chora. Dessa maneira se multiplicam o número de mamadas. 

Para a obesidade também existe um componente genético, ainda que o principal motivo para que a criança sofra de obesidade são os maus hábitos alimentares que os pais passam para os filhos. 

Não devemos nos esquecer que a obesidade implica em uma complicação geral para a saúde. Os principais riscos de ter um bebê obeso são: 

- Mostra atrasos nos movimentos, já que custa se mover devido ao excesso de peso. Demoram em caminhar, se sentar ou engatinhar

- Aprende a comer desde as primeiras etapas, uma vez que a vontade de comer co bebê estará determinada por essa má alimentação. 

- Podem sofrer mais adiante de doenças como o diabetes, transtorno do aparelho locomotor, problemas cardiovasculares e inclusive algum tipo de câncer. 

A principal prevenção da obesidade em bebê é que o aleitamento materno se realize exclusivamente até os seis meses, evitando introduzir qualquer outro alimento. E, quando iniciar a alimentação complementar, não dar à criança muitos doces, biscoitos, frituras ou bebidas gasosas.

Se o bebê já sofre um transtorno de obesidade, é importante que o pediatra o veja para revisar a sua alimentação e dar aos pais normas saudáveis de acordo com a sua idade e peso. 

Alba Caraballo

Editora de GuiaInfantil.com

Obesidade infantil. Criança com sobrepeso

Obesidade infantil. Criança com sobrepeso

A obesidade já atinge 10 por cento das crianças brasileiras, A obesidade infantil aumentou cinco vezes nos últimos 20 anos no Brasil e é uma das principais consequências de casos de diabetes e problemas cardiovasculares, além do aumento dos níveis de colesterol e triglicérides.

Quando uma criança é diabética

Quando uma criança é diabética

O diabetes é a segunda doença crônica que mais afeta as crianças. Os casos aumentam ano após ano, levando as crianças afetadas a terem um alto grau de responsabilidade e controle para evitar problemas futuros. O apoio familiar é muito importante para a criança.

A criança que come muito

A criança que come muito

Enquanto a maioria das mamães se preocupa quando o seu filho não quer comer, um grupo, um pouco mais reduzido, é o que compõe as mamães cujos filhos são glutões. Os extremos são perigosos. Por um lado pode levar à desnutrição e por outro ao sobrepeso e obesidade.

Obesidade infantil. Um problema mundial

Obesidade infantil. Um problema mundial

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), a obesidade e o sobrepeso alcançaram números de epidemia mundial. As cifras assustam. Mais de 2,1 bilhões de pessoas adultas têm sobrepeso e dentre elas, pelo menos 600 milhões são obesas.

0 comentarios