A obesidade infantil e o diabetes

Quando as crianças são obesas e sofrem de diabetes

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Embora a obesidade aumente em proporção direta com a idade, cada vez mais aparecem casos de obesidade infantil. A razão é que enquanto as mudanças no estilo de vida dos adultos vão acontecendo lentamente durante muitas décadas, nas crianças elas acontecem em pouco tempo.

Até pouco tempo, as crianças brincavam no parque, pátios ou até mesmo na rua, hoje passam horas nos smartphones, no computador ou tablet, além dos videogames e em frente à televisão.Ao mesmo tempo, sua dieta foi se transformando e se “americanizando”, tanto nas principais refeições como nos lanches. A criança consome muito doce, biscoitos industrializados e muita fritura. 

A obesidade infantil é a epidemia do século XXI

A Obesidade e o diabetes são duas doenças que andam juntas, tanto que nas últimas décadas do século passado já se observou que o estilo de vida das sociedades mais ricas tinha uma relação direta com a quantidade de pessoas com sobrepeso. A espécie humana não está programada para o que se entende por estilo de vida ocidental: dieta rica em gordura, comida ruim, escasso consumo de frutas, verduras, hortaliças e legumes, junto com menos atividade física. A consequência clara é a obesidade e as doenças que se associam à mesma, com destaque ao diabetes. Ambas se unem sob a denominação de “diabesidade”, que já é a epidemia do século XXI.

Dois polos opostos: fome e obesidade entre as crianças

Ainda que em muitos lugares do planeta, a fome não foi erradicada, vergonhosamente muitas crianças e adultos (uns 40 milhões por ano) morrem ou têm um desenvolvimento inadequado por não disporem de alimentos suficientes para suprir suas necessidades, também vemos, por outro lado, uma tendência oposta, a obesidade em crescimento, inclusive a infantil.

O diabetes já se diagnostica aos oito anos de idade

Assim, em países onde a obesidade não se tratava de um problema há pouco tempo, entre 1978 e 1995 a obesidade em menores de cinco anos se multiplicou em países como o Egito. No Japão já havia cerca de 8% de crianças obesas em 1992. Nesse mesmo país, o número de crianças com diabetes tipo 2, cujo aumento tem relação direta com a obesidade, quase havia dobrado no período de 1991 a 1980 e de 1991 a 1995. Se tradicionalmente o diabetes tipo 2, que em 85% dos casos se dá em obesos, era considerada uma doença de adultos, hoje em dia já está sendo diagnosticada em crianças a partir dos 8 anos.

Um trabalho publicado faz poucos meses chegou a conclusão que uma criança nascida no ano de 2000, nos Estados Unidos, têm 32,8% de probabilidade de ser diabética ao longo da sua vida. No caso das meninas a probabilidade é maior: 38,5%.

Não há dúvida que existe uma prioridade e uma urgência para tomarmos consciência da magnitude do problema tanto por parte dos governos como da sociedade em conjunto. O quanto antes agirmos, mais as crianças se beneficiarão dessa ação.

Dr. José Ramón Calle

Especialista en Endocrinologia.

Hospital Clínico de Madrid.

Assessor médico de la Fundación para la Diabetes.

Colaborador de GuiaInfantil.com