O aparecimento ou o aumento da miopia na gravidez

Quando aparece ou aumenta a miopia nas mulheres durante a gestação

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Durante a gravidez acontecem muitas alterações no corpo da gestante. Uma dessas alterações é a retenção de líquidos, mas o que não é tão conhecido é que essa retenção pode se dar também em algumas das estruturas do olho, fazendo com que a curvatura da córnea e a grossura do cristalino aumentem dando como resultado o aparecimento de uma leve miopia de 0,5 ou inclusive 1 dioptria. 

A retenção de líquidos e a miopia da gestante

o-aparecimento-ou-aumento-miopia-gravidez A

Este acúmulo ou retenção de líquidos nas estruturas oculares podem ocorrer entre as semanas 31 e 41 da gestação e poderá desaparecer dois meses depois do parto. Como consequência, não é necessário adaptar óculos ou trocar as lentes das mesmas se a gestante já era míope, pois a visão se restabelecerá. Caso a má visão interfira nas tarefas diárias como, por exemplo, dirigir, a grávida poderá corrigi-la na totalidade da miopia e quando a retenção hídrica desaparecesse poderia voltar à graduação normal. 

Existem alguns poucos casos em que esse aumento da miopia possa ser permanente, por isso os oftalmologistas podem recomendar adiar a cirurgia refrativa se a paciente planeja uma gravidez. 

Em caso de gestantes com miopia severa ou de alto grau (maior que 6 graus), é recomendável passar por revisões oftalmológicas periódicas para fazer uma avaliação do fundo do olho. A miopia de alto grau não é somente a presença de dioptrias, mas é considerada uma patologia ocular. Provoca danos nas estruturas oculares, principalmente na retina. Devido ao globo ocular ser muito grande, o aumento do olho pode causar alterações na retina comprometendo a visão da pessoa. Nesses pacientes pode-se levar ao descolamento da retina. O descolamento da retina pode acontecer após uma pancada, quando a retina (ou parte dela) se separa da sua posição podendo ocasionar a perda parcial ou total da visão. 

Durante o parto acontecem contrações intensas dos músculos abdominais produzindo alterações na pressão, que se transmite pelos vasos sanguíneos até o olho. Em condições normais, um olho sadio não sofre danos com esses aumentos de pressão. No entanto, se a retina se encontra danificada corre risco descolamento. Se forem observadas anomalias na retina que possam levar ao descolamento da mesma, o oftalmologista pode tratá-las com fotocoagulação a laser ou no caso de ser necessário, contra-indicar o parto normal e recomendar ao ginecologista que este seja feito mediante cesárea. Nestes casos, a solução é complexa: por um lado está o risco do olho, que é difícil de estabelecer objetivamente, com as consequências de uma cesárea desnecessária por parte do ginecologista (cujas complicações tão pouco se podem estabelecer objetivamente). A evidência científica não contribui com dados definitivos a favor ou contra essas decisões. 

Cecilia Martínez Ordás

Optometrista

Especialista em Audiologia Infantil 

Óptica Miraflores