A reflexologia em bebês, crianças e grávidas

O que é a reflexologia e quem pode se beneficiar dela

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

A Reflexologia é uma ciência que se baseia no princípio de que existem zonas refletidas nos pés e nas mãos que se correspondem com todas as glândulas, órgãos e partes do corpo. 

É um método que consiste em estimular essas zonas com uma técnica de compressão e um tipo de massagem utilizando os polegares e os dedos das mãos. O resultado ao estimular essas zonas é provocar uma resposta direta em determinada área do corpo relacionada com elas. As gestantes, os bebês e as crianças podem se beneficiar com a reflexologia? 

Quais partes do corpo são utilizadas a reflexologia

a-reflexologia-em-bebês-crianças-gestantes A 

Na reflexologia, o pé e a mão direitos representam o lado direito do corpo e o pé e a mão esquerdos, o lado esquerdo. Um profissional que trabalha com reflexologia bem treinado trabalhará mãos e pés no mesmo tratamento para uma maior efetividade. Mas, a reflexologia pode ser trabalhada exclusivamente nos pés (Reflexologia Podal). Os pés respondem melhor ao tratamento do que as mãos; estes, ao contrário das mãos, podem estar protegidos pelas meias e calçados e são mais sensíveis ao tratamento. A identificação dos pontos refletidos nas mãos é diferente dos pés, sendo que nos pés esses pontos são mais facilmente identificados.   

A reflexologia em gestantes, bebês e crianças 

Durante muitos anos se pensou que a reflexologia não podia ser aplicada em gestantes. No entanto, hoje em dia se sabe que a reflexologia pode ser aplicada sem problemas em grávidas, sempre e quando não se trate de gravidezes instáveis ou com risco de aborto.

O período pré-natal é determinante no futuro do bebê e tem relação com o seu futuro desenvolvimento, por isso a importância da saúde física e emocional da mãe. Na gravidez vão acontecer alterações físicas inevitáveis, anatômicas, fisiológicas, hormonais e metabólicas, e a Reflexologia pode ajudar de forma surpreendente. O melhor, sem dúvida, é utilizá-la como terapia preventiva, tomando medidas de precaução antes que os sintomas cheguem, mas às vezes poderá ser utilizada como terapia em algumas situações pontuais durante a gravidez: enjôos, náuseas, vômitos, estresse, ansiedade, cansaço, prisão de ventre, anemia, asma, fadiga, diabetes gestacional, dores nas costas, queimação no estômago, flatulência, edema ou retenção de líquidos, ciática, síndrome do túnel do carpo, sínfise púbica (ou pubiana), hemorróidas... Tudo pode ser aliviado pela Reflexologia. 

As crianças e os bebês são provavelmente os mais receptivos a esta terapia. Os resultados são fantásticos, aliviando uma patologia concreta, mas sem dúvida é um sucesso como terapia preventiva, já que ajuda entre outras coisas a manter o sistema imunológico ótimo e relaxado, diminuindo e inclusive evitando muitos resfriados, algo muito comum nas crianças. 

Não devemos perder de vista que a Reflexologia também se baseia no tato e promove o vínculo afetivo entre crianças, pais e cuidadores. Isso, junto com a estimulação do sistema nervoso e o sistema músculo-esquelético faz com que a Reflexologia seja muito efetiva em casos de crianças com déficit de atenção, em crianças diagnosticadas com atraso na maturidade, assim como crianças com Síndrome de Down

Marta López Estríngana

Massoterapeuta, Quiropraxista e Educadora em massagens infantis