A fisioterapia na gravidez

Que papel tem o fisioterapeuta no cuidado da gestante

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Quando uma mulher engravida, ela experimenta ao longo de todo o processo, mudanças físicas que vão muito mais além que o diâmetro da sua barriga. Sua coluna, quadris, articulações e sua musculatura, entre outros, irão se adaptando para carregar ao bebê e dar a luz posteriormente. Todas essas modificações irão provocar incômodos para a futura mamãe e os cuidados de um fisioterapeuta serão de grande ajuda para minimizar as dores normais do processo, prepará-la para o parto e ir compensando todas as mudanças no seu corpo.

Como um fisioterapeuta pode ajudar a gestante?

a-fisioterapia-na-gravidez A 

Os quadris se alargarão graças ao hormônio relaxina, que amolece a sínfise púbica, aumentando o espaço para o bebê passar durante o parto. Durante a gravidez, é normal que este espaço aumente em 2-3 mm. 

É normal que esta separação provoque dor e incômodos ao caminhar, ao subir ou descer escadas, ao separar as pernas, na parte baixa da coluna e do assoalho pélvico e na parte da frente das extremidades inferiores. 

Nesses casos, o fisioterapeuta pode agir, sempre em conformidade com o médico, com técnicas suaves de manipulação articular; fazer uso da eletroterapia para diminuir a dor, é contra-indicado em gestantes.  

A fisioterapia contribui com:

- exercícios de alongamento e fortalecimento de determinados músculos

- exercícios aeróbicos

- melhora da circulação sanguínea

- correção da postura 

- exercícios de relaxamento

Os resultados são notórios. As mamães sentem alívios de cãibras, inchaço, falta de ar e dores na coluna vertebral e na pélvis. Além disso, a futura mamãe estará mais preparada para a hora do parto. 

Outra mudança que provoca incômodo é o crescimento do peito e o peso do bebê causando dores nas costas e/ou ciática. Nesses casos, o fisioterapeuta, mediante massagens, técnicas suaves, alongamentos e conselhos sobre higiene postural conseguirá aliviar muito essas dores. 

É importante também que a mulher vá se preparando fisicamente. Uma mulher com uma boa resistência aeróbica, uma boa musculatura geral, principalmente do assoalho pélvico, com resistência muscular e força, gozará não somente de uma boa recuperação, mas também de uma diminuição do tempo de trabalho de parto e da possibilidade de evitar que lhe pratiquem uma episiotomia. 

O fisioterapeuta poderá personalizar para a futura mamãe um programa de acordo com o seu estado evolutivo em cada momento e de acordo com as suas necessidades, onde serão englobados exercícios de tonificação, elasticidade, exercícios perineais, respiratórios e de relaxamento, porque também é importante que a mulher tenha sob controle os níveis de estresse. 

Praticar Pilates ou Yoga, participar de aulas de pré-parto, alongar e caminhar todos os dias também são bons complementos para estar em forma.