A ameaça da gripe em gestantes aumenta com o frio

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Por que a gripe é mais comum nos meses de frio? Segundo os cientistas, o vírus da gripe, também conhecido como influenza se transmite melhor quando faz frio. A taxa de contágio é mais elevada com temperaturas baixas. 

Durante os meses de mais calor existe uma maior umidade ambiental e o contágio se torna mais complicado, já que o vírus sobrevive melhor com baixa umidade. As gestantes, portanto, devem estar atentas diante de um possível contágio do vírus. A gente conta para você os riscos de contrair uma gripe na gravidez

O que fazer contra a gripe se você estiver grávida

a-ameaça-da-gripe-gestantes-frio A

A gravidez não é uma doença. No entanto, durante a gestação a mulher sofre muitas alterações para desenvolver o embrião e fazer crescer o seu pequeno bebê. Com tantas mudanças físicas e hormonais, as gestantes são mais vulneráveis diante das doenças oportunistas, entre elas a gripe, e a todas as infecções, já que seu sistema imunológico se deprime de maneira natural com a gravidez.

Por isso, deve-se ter todo o cuidado com o contágio com o vírus da gripe se você estiver grávida, e é muito importante que a futura mamãe cumpra de maneira rigorosa as medidas preventivas. Se você estiver grávida deve evitar as saudações e beijos, assim como o contato ou a visita de alguém doente. 

No caso em que você se contagie com a gripe, e ela se inicie com febre, você deve tentar baixá-la o antes possível com paracetamol (que é um medicamento seguro na gravidez) e entrar em contato o quanto antes com os serviços de saúde para que realizem uma avaliação individual do seu caso para um diagnóstico seguro. A febre pode estar presente em 97% dos casos das mulheres grávidas que sofrem com a gripe. Controlar a febre é um objetivo prioritário do tratamento médico. Mesmo assim é necessário o descanso (cama). 

O vírus da gripe não pode atravessar a placenta, portanto não pode ser transmitida para o bebê, no entanto, ele pode sofrer os efeitos secundários dos sintomas que a mãe sofre como: inapetência, desidratação ou problemas respiratórios. 

Vilma Medina

Diretora de GuiaInfantil.com