As frutas que mais produzem alergia nas crianças

Conheça os alimentos que mais produzem alergia nas crianças

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

O pêssego, o melão e o kiwi são os alimentos de origem vegetal que mais alergia provoca nas crianças. Em geral, cerca de 10 por cento das crianças pequenas sofrem alguma reação alérgica a essas frutas, segundo dados da Sociedad Española de Alergología e Inmunología Clínica (SEIC). Muitas pessoas costumam ser alérgicas a laranja, limão, acerola e outras frutas cítricas. O damasco, nectarina, cereja, ameixa, morango, pera, maçã, a banana ou o ananás podem, também, ser responsáveis por alergias.

Crianças alérgicas a alimentos

As frutas mais alérgicas para as crianças

Segundo a ASBAI (Associação Brasileira de Alergia e Imunopatologia), estima-se que as reações alimentares de causas alérgicas verdadeiras acometam 6 a 8 por cento das crianças com menos de 3 anos de idade e 2 a 3 por cento dos adultos.

Os especialistas asseguram que a alergia aos alimentos é a causa mais frequente de assistência por anafilaxia nos Prontos Socorros dos hospitais. Além disso, provoca uma clara diminuição da qualidade de vida do paciente e um aumento tanto dos gastos com a saúde como da ausência do trabalho e da escola. 

A alergia alimentar está ligeiramente ligada à sensibilização a certos polens, já que compartilham de alergênicos comuns. É o que se denomina de reação cruzada. Seis de cada dez alérgicos ao pólen, podem apresentar sintomas secundários após a ingestão de alimentos associados. 

Os alérgicos a alimentos de origem vegetal podem ter uma síndrome de alergia oral, com inchaço dos lábios e coceira na garganta e ouvidos, ainda que em alguns casos possam terminar em um choque anafilático. 

Durante anos, o único tratamento da alergia alimentar consistia em evitar o alimento causador da reação. Hoje em dia, é possível superar a alergia através de novos tratamentos realizados em alguns hospitais, e que consistem em oferecer à criança pequenas doses do alérgeno em questão, nesse caso do alimento que causa a alergia para que seu organismo vá se tornando tolerante ao mesmo. 

Esse tratamento está conseguindo resultados positivos em 90 por cento dos casos das crianças tratadas. Sua aplicação é personalizada e deve ser realizada por uma equipe médica especializada.