Fruta com casca para as crianças: sim ou não

As crianças devem comer fruta com casca?

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Ainda que a crianças em geral não gostem da casca das frutas e verduras, às vezes pode ser mais benéfico consumi-las com sua própria casca. Em alguns casos, como da banana ou abacaxi, é evidente que a casca deve ser retirada, mas em outros casos não está tão claro se o seu consumo pode contribuir com benefícios ou não. 

Quando as crianças devem comer fruta com casca

fruta-com-casca-para-as-crianças A 

- Comer maçãs com sua própria casca proporciona mais ou menos o dobro de fibras do que se as descascarmos. Além disso, proporciona mais Vitamina A, potássio e não varia o sabor da fruta

- Este é o caso também das uvas e outros frutos do bosque, como o arando, morangos ou framboesas, cuja casca, além de difícil de retirar não muda o sabor e ainda acrescenta vitaminas e outros micronutrientes. Em particular, tanto as uvas como os frutos do bosque são uma fonte importante de fitonutrientes, especificamente polifenóis, tanto flavonóides como não flavonóides, que têm funções antioxidantes protegendo contra o envelhecimento celular. Mais especificamente são uma fonte de antocianinas que tem funções protetoras do cérebro e o sistema cardiovascular, e antocianidinas, relacionadas com um aumento da destreza verbal, da memória em curto prazo e a agudeza visual, tudo de grande interesse na infância.  

- No caso dos cítricos, a casca, ainda que possa resultar amarga e/ou desagradável de comer, tem um alto conteúdo de Vitamina C e A, vitaminas do grupo B, minerais como cálcio e potássio e fibra. Seu uso não se limita apenas à confeitaria, mas também pode ser usada para aromatizar óleos e o açúcar, ou inclusive a água da bebida. Também, como as uvas contêm fitonutrientes, flavonóides como a hesperidina, relacionada com o bom funcionamento do sistema circulatório e o coração. 

Quando as crianças não devem comer a fruta com casca 

- A casca de frutas e verduras pode, no entanto, ter restos de produtos químicos como fertilizantes, fungicidas ou pesticidas, além de ovos e outros restos de insetos que possam ter depositado. Além disso, a textura da casca de algumas frutas pode ser mais grossa e desagradável ao mastigá-la, e isso pode torná-la menos atrativa. É o caso da cenoura, que tem uma textura desagradável e, nesse caso, ao descascá-la não se perde quantidades significativas de fibras ou vitaminas. O pepino, cuja casca também pode ser áspera pode ser comido com ou sem casca, ainda que a casca não apresente muitos benefícios, já que a fibra se encontra majoritariamente nas sementes que o pepino contém no seu interior. 

- Também, a pele de algumas frutas pode, em casos muito específicos, produzir alergias, como é o casso do pêssego e outras frutas cuja casca parece ter pelos. No caso particular do pêssego, a casca contém muitas vitaminas hidrossolúveis, além de potássio e fibras, por isso se a casca produza alergias ou seja desagradável, é possível escolher utra fruta similar como a nectarina, cuja casca é mais fina e assim evitar a perda de micronutrientes.  

Em geral, se a fruta será consumida com casca é preferível se assegurar que esteja livre de impurezas, germes e produtos químicos, lavando-a exaustivamente e esfoliando-a se for necessário. 

Carlota Reviriego

Nutricionista