Crianças com alergias

Causas e tratamentos da alergia na infância

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

A alergia é uma reação de hipersensibilidade a uma substância geralmente inofensiva. Há uma série de substâncias, chamadas de alérgenos, que podem incomodar seu filho.

Dentre os alérgenos comuns encontram-se pólen, pêlo animal, pó caseiro, penas, ácaros, substâncias químicas e vários alimentos. Algumas alergias causam principalmente sintomas respiratórios; outras podem gerar sintomas diversos como dor de cabeça, fadiga, febre, diarréia, dor de barriga e vômito. Este item trata das alergias respiratórias, tanto crônicas quanto sazonais.

Sintomas e tratamento da alergia nas crianças

Causas, sintomas e tratamento para a alergia infantil

A criança com uma alergia respiratória pode ter nariz entupido e/ou coriza, espirros, coceira na pele e nos olhos e/ou olhos vermelhos, lacrimejantes. É desnecessário dizer que isso pode ser muito desconfortável. Se o problema é sazonal ou crônico depende do alérgeno em questão. As alergias sazonais tendem a ser causadas por pólen; portanto, os sintomas recorrem mais ou menos na mesma época todos os anos, geralmente na época de floração da planta agressora. A febre de feno é um exemplo de alergia sazonal. A febre de feno da primavera na maioria das vezes decorre do pólen da grama e das árvores, ao passo que a febre de feno no final do verão e início de outono é geralmente causada pela sensibilidade ao pólen de ambrosia-americana e mofo.

As alergias permanentes ou crônicas são geralmente causadas por fatores presentes no ambiente o ano todo, como pêlo animal, poeira ou penas. A rinite alérgica é uma inflamação crônica da membrana mucosa que reveste as vias nasais, causada por uma reação alérgica. É caracterizada por nariz entupido, coriza, espirros freqüentes e uma tendência a respirar pela boca. Os olhos da criança podem ficar vermelhos e lacrimejantes. Dor de cabeça, coceira, rinorragia e fadiga podem ser complicações secundárias. Círculos escuros embaixo dos olhos (chamados de "olheiras alérgicas"), além de um rosto inchado, são freqüentes.

Os bebês com rinite crônica são muitas vezes alérgicos a alimentos, na maioria das vezes a leite de vaca. As crianças mais velhas com coriza constante muitas vezes reagem a lã, mofo, penas, poeira, pêlo animal e/ou pólen. Contudo, em alguns casos, a coriza constante talvez não seja resultado de uma reação alérgica, e deve ser diferenciada de uma doença subjacente mais séria, como sinusite crônica. Essa tarefa é melhor desempenhada por um profissional de saúde.

Sejam os sintomas sazonais ou crônicos, há muitas vezes uma história de alergias na família; muitas vezes, o pai ou o avô de uma pessoa alérgica também era alérgico. Na presença de um alérgeno, o sistema imunológico da criança libera histaminas e sustâncias químicas semelhantes para combater o que considera um agente invasor. Essas substâncias químicas causam uma série de reações, inclusive inchaço, congestão das vias nasais e maior produção de muco. É basicamente uma reação hipersensível ou excessivamente ativa do corpo da criança ao estímulo externo. A criança em crescimento torna-se mais capaz de combater infecções com o amadurecimento do seu sistema imunológico e pode também superar as alergias.

Em uma criança com alergia, a primeira exposição a um alérgeno, estimula o sistema imune para reconhecer a substância. Qualquer exposição posterior ao alérgeno, geralmente ocasionará sintomas. Quando um alérgeno entra no organismo de uma pessoa que tem o sistema imune sensibilizado, certas células liberam histamina e outros quiímicos. Este produz coceira, edemas, produção de muco, espasmos musculares, urticária, erupção cutânea e outros sintomas.

Como saber se a criança é alérgica

Os sintomas podem variar em gravidade de pessoa para pessoa. A maioria tem sintomas que somente causam incômodos sem colocar em perigo a vida, embora poucas pessoas têm reações potencialmente mortais (chamadas anafilaxia).

A parte do corpo que entra em contato direto com o alérgeno, em parte, sofrerá os sintomas. Por exemplo, normalmente, os alérgenos que se inalam, produzem congestão nasal, coceira na garganta e nariz, produção de catarro, tosse ou chiados. Em geral, as alergias à comida podem produzir: dor abdominal, cólicas, diarréia, náuseas, vômitos ou reações graves, potencialmente mortais. Frequentemente, as alergias às plantas produzem erupção cutânea e normalmente as alergias a medicamentos comprometem todo o corpo.

Os sintomas das alergias variam dependendo do que está causando a reação e em que parte do corpo ocorre.

Os sintomas da alergia podem incluir:

- Coriza
- Aumento no lacrimejar
- Sensação de fogo ou coceira nos olhos
- Olhos avermelhados
- Conjuntivite
- Edemas nos olhos
- Coceira no nariz, boca garganta, pele, ou em qualquer outra área
- Sílbidos (chiados)
- Tosse
- Dificuldade para respirar
- Urticária (manchas na pele)
- Erupção cutânea
- Cólicas estomacais
- Vômito
- Dor de cabeça.  

Algumas enfermidades estão relacionadas com as alergias. Entre outras, estão o eczema e a asma, entre muitas outras.

Os alérgenos comuns compreendem agentes ambientais que têm contato com a pele, as vias respiratórias ou a superfície dos olhos (tais como o pólen, alergia a fungos, caspa, poeira). São muito comuns as alergias a comidas e aos medicamentos. Igualmente as reações alérgicas podem ser causadas por picadas de insetos, jóias, bijuterias, cosméticos e quase toda substância que tenha contato com o corpo. 

Algumas pessoas têm um tipo de reação alérgica às temperaturas quentes ou frias, ao sol, ou a outros estímulos físicos e em algumas pessoas, a fricção (atrito ou pancadas fortes na pele) produz sintomas. (Ver também dermatite atópica e dermatite de contato). As alergias são relativamente comuns e já foram encontrados fatores como a herança genética e as condições ambientais como suas causadoras