Como os pais podem usar o Mindfulness

Como usar o Mindfulness na educação das crianças

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Quantas vezes os pais se vêem imersos em um ataque de nervos, de ira e descontrole com os seus filhos? Quantas vezes eles escutam a eles mesmos repetindo as frases dos seus próprios pais que juraram nunca repetir? Quantas vezes se perguntam por que não desfrutam mais dos seus filhos

A prática do Mindfulness ou atenção plena pode ser uma grande ajuda para se desconectar desse ‘piloto automático’ que faz com que se reaja de maneira descontrolada, e começar a responder conscientemente. É o que se chama prática da paternidade consciente. Saber como educar e porque o fazemos. Por isso, a paternidade consciente ajuda a ser pais abertos, atentos, flexíveis e compassivos. 

O Mindfulness ensina a ser um pai responsável

como-os-pais-podem-usar-mindfulness A

Não existe pai perfeito, mas sim pai responsável. Mindfulness não diz como educar. Ajuda a se dar conta de como se educa, e de decidir responsavelmente como educar. Uma paternidade consciente não implica em perfeição, mas sim numa grande responsabilidade por parte do adulto.

Muitas vezes, no fundo dos nossos conflitos está o desejo, nem sempre reconhecido, de ter um filho diferente do que se tem e que responda às próprias expectativas ou desejos. E só quando os olhos são abertos e é capaz de ver a grandeza do filho, com clareza e livre das próprias expectativas, é possível amar realmente e desfrutar desse amor. Finalmente, é aceitar, sem julgamentos, que os filhos são o que são, não o que desejam que eles sejam. 

Como os pais podem utilizar o Mindfulness

O ideal, para iniciar a prática do Mindfulness, é fazê-lo com um profissional que o acompanhe. A chave do sucesso é a prática contínua, por isso é importante, pelo menos no início, de um  guia que acompanhe o processo. 

Pode começar com a respiração, que se converte em uma âncora do presente. Quando se escuta a própria respiração, ele se encontra completamente no presente. A partir daí, e graças a diferentes práticas, ele vai se tornando cada vez mais consciente de onde está, de quais são as suas sensações físicas, suas emoções e seus pensamentos em cada momento.

Exemplo de como usar o Mindfulness na vida cotidiana 

‘São oito da noite e, cansado ou cansada do dia todo, alguém se dispõe a guardar nos armários a roupa dos seus filhos que acaba de passar’. 

Existem várias opções: 

a) Levar a roupa por inércia, sem saber no que se pensa, realmente no ‘piloto automático’. É algo que está tão acostumado que nem se dá conta. 

b) Levar a roupa pensando no que tenha ocorrido durante o dia de trabalho.

c) Levar a roupa pensando como já é tarde e como está cansado e que ainda tem que fazer o jantar. 

d) Levar a roupa devagar, observando-a, sendo consciente de quem é o dono dessa roupa. Inclusive sorrindo, sutilmente. Sentindo através dessa roupa que foi passada com carinho, todo o amor que se sente pelo filho ou filha. Cheirando a roupa recém-passada. Abrindo devagar as gavetas, colocando as roupas com cuidado. Sendo consciente do que está fazendo nesse momento, e desfrutando dele. 

É possível que isso soe complicado, ou estúpido, inclusive. É possível que alguém pense: Tá bom! Com tudo o que eu tenho para fazer, ainda por cima tenho que guardar a roupa com carinho! Eu não sou capaz de fazê-lo!

Não é tão difícil como parece, mas tão pouco é muito fácil. Mas, todo o mundo pode fazê-lo se quiser. E esta é a chave: desejar fazê-lo, ou pelo menos prová-lo. Os benefícios são enormes, e a mudança que se produz em quem pratica e nas pessoas que estão ao seu redor é assustador. Só é necessário provar. 

Como diz Myla Kabt-Zinn, cada vez que alguém escolhe a amabilidade em lugar da crueldade, a compreensão ao invés do julgamento, a aceitação ao invés do arrependimento, as crianças crescem e se fortalecem. 

Patricia Díaz-Caneja 

Pedagoga

Especializada em crianças com problemas de aprendizagem 

Instrutora de Mindfulness