Os pais helicóptero

Superprotetores e intrometidos, assim são os ‘pais helicóptero’, um fenômeno da sociedade atual que, ainda que pareça uma coisa rara, está presente entre nós, entre amigos e familiares. Os pais helicóptero são os que tendem a sobrevoar pela vida dos seus filhos, sempre os advertindo dos possíveis perigos, evitando que cometam certos erros, metendo sempre ‘sua pata’ e até boicotando sua capacidade de escolha quanto às amizades ou namoros quando são adolescentes.   

Até que ponto somos ‘papais helicóptero’? 

Onde se encontra o equilíbrio entre ajudar a uma criança e protegê-la ou superprotegê-la? Os psicólogos estabeleceram três categorias de pais helicópteros:

A primeira categoria é a chamada ‘helicópteros de combate’. Esses pais são os que se caracterizam em voar para lutar pelos seus jovens. Trata-se, normalmente, do pai helicóptero que os administradores e empregados da escola consideram de menor ajuda. 

A segunda modalidade corresponde aos pais conhecidos como ‘helicópteros de tráfego’. Nesse grupo se encontram os pais que vão guiando suas crianças, marcam o caminho que considera mais adequado e ajudam os filhos a tomarem decisões apropriadas ao longo das suas vidas.  A diferença entre esse tipo de ‘helicóptero’ e o ‘helicóptero de combate’ é que o helicóptero de tráfego finalmente permite ao estudante seguir seu próprio caminho. 

O terceiro tipo de pais superprotetores são os que formam o grupo de ‘helicópteros de resgate’. A função desse tipo de pai é tirar seus jovens de situações de crise e levá-los para um lugar seguro, ou proporcioná-los abastecimento para que voltem a se levantar e se colocarem em pé.  

Os pais helicópteros estão profundamente dedicados aos seus filhos e o seu sentido de dever como pais vão muito mais além de proporcionar a eles um ambiente e uma educação adequada. As crianças de pais helicóptero, por sua vez, confiam muito no critério dos seus pais e sempre os consultam quando têm que tomar alguma decisão. Algo que choca, sobretudo, às pessoas que tem vivenciado uma atitude de rebeldia generalizada dos filhos diante dos pais quando chega à adolescência. 

No entanto, só quando os pais dificultam a capacidade de um filho ser auto-suficiente, a paternidade helicóptero começa a ser um problema, dizem alguns especialistas. Essa superproteção física e moral implicam estar em contato permanente com eles, algo que o uso dos celulares facilitou muito. Além disso, está diretamente relacionada a um elevado nível de exigência acadêmica. Os pais helicóptero querem que seus filhos sejam os melhores, pressionam as crianças para que se esforcem ao máximo e inclusive na escola para tenham as melhores qualificações, o que conduz a um estado de estresse, incompatibilidade social e ansiedade nas crianças

A questão é que a pressão dos pais helicóptero não termina na infância. Eu continuei pesquisando um pouco mais sobre o tema e vi que a paternidade helicóptero está implicando num problema para os jovens que estão em busca do seu primeiro emprego. Alguns deles chegam a acompanhar seus filhos nas entrevistas de trabalho, dão opiniões como devem falar ou agir. Essa atitude impede que as crianças aprendam a tomar decisões, a resolver problemas, a assumir responsabilidades e a ser independentes. 

Marisol Nuevo

  • Uma boa comunicação em família
    Uma boa comunicação em família

    Uma boa comunicação, une a família. É claro que não existe uma regra básica para melhorar a comunicação em uma família. Cada família é um mundo distinto, uma linguagem única. O que deve existir, como meio de melhorar a comunicação, é a vontade, o interesse, e a disponibilidade por parte dos pais, e que esse espaço seja criado e vivido intensamente, na medida do possível.

    • Tipos de pais e a comunicação com os filhos
      Tipos de pais e a comunicação com os filhos

      Conhecendo o perfil de cada pai e mãe. Em função das palavras que dirigimos às crianças, podemos comunicar uma atitude de cumplicidade, ou pelo contrário, de ignorância e desatenção.

0 comentários