Por que o medo não serve para educar

A ameaça e o medo na educação das crianças

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Com certeza você se lembra quando era pequeno e alguém te disse que se você não fosse para a cama naquela hora, viria um ‘bicho papão’ para te levar, pois levava crianças teimosas que não obedeciam. 

Sem se importar com o que isso causaria na personalidade das crianças, muitos pais educaram sob o medo. O medo de nada serve para educar. O medo assusta para impor regras. Mas, as crianças crescem e começam a se dar conta que o ‘bicho papão’ não existe. 

Utilizar o medo na educação da criança é negativo

por-que-medo-não-serve-educar A

Não é preciso ir tão longe para encontrarmos pais e professores que usam o medo para educar hoje em dia também. São muitos os adultos que educam através do medo baseado em ameaças, como por exemplo: ‘Se não fizer o que estou te dizendo, vou te castigar’. ‘Se não fizer os deveres você vai repetir o ano e voltará a estudar com os pequenos’, ‘se você se comportar mal na sala de aula, você vai para a sala de crianças de três anos’, ‘como você não me obedece não poderá sair para brincar’, se não tirar boas notas é melhor se esquecer da piscina neste verão’. Os exemplos são infinitos. 

Educar em meio ao medo é anular o critério da criança, é não deixar-lhe opção, é não dar-lhe a oportunidade que sejam elas mesmas que sintam a necessidade de fazer as coisas, e, portanto, de serem responsáveis. Educar através do medo é anular a personalidade das crianças e as tornam incapazes de tomar decisões por elas mesmas.

4 razões para não utilizar o medo na educação infantil

A educação não é simplesmente dizer ‘obedeça ao que te falo’. Os adultos devem ensinar os pequenos a tomarem decisões, que saibam o que é o melhor em cada momento e que entendam porque é assim, que saibam que se não agirem corretamente terão consequências negativas e se não agirem daquela forma verão as consequências, mas sem a necessidade do medo, simplesmente avisá-los do que existe. Alguns exemplos seriam: ‘se não jantar o que tem sobre a mesa você vai se deitar com fome’, ‘se não fizer os deveres amanhã você vai ter dificuldade de aprender a lição’, etc. 

1. Porque anula a personalidade das crianças e não as ensina como a vida é. Elas necessitam conhecer as consequências naturais para saber como agir. 

2. Porque não diz a elas o que esperam delas, simplesmente esperam que obedeçam, convertendo-as em seres submissos sem critério próprio.

3. Porque as ameaças não dão confiança nem segurança na família, algo imprescindível para o desenvolvimento infantil. 

4. Porque o medo anula a comunicação entre pais e filhos, afetando consideravelmente o vínculo afetivo. 

María José Roldán

Psicopedagoga

Mestre em Educação Especial (Pedagogia Terapêutica)