Por que as crianças têm que fazer birras

A importância das birras no desenvolvimento infantil

Vilma Medina Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Quando falamos de birras infantis, em geral temos uma perspectiva negativa das mesmas. Estamos acostumados a ver informação e conselhos para acalmá-las, evitá-las, ou tratá-las, mas poucas vezes nos explicam que existem por trás das birras infantis razões importantes que as tornam necessárias. Você sabe por que é importante que uma criança tenha birras? 

A parte positiva que as crianças façam birras

por-que-as-crianças-têm-que-fazer-birras A

É conhecido que, a partir dos dois anos, as crianças entram em uma fase de oposição sistemática e obstinação. É justamente nesta idade quando começa as tão temidas birras, momento em que os pais buscam técnicas para evitar que elas aconteçam. No entanto, mais do que buscar remédios para evitá-las, a gente deveria começar a entender porque acontecem e vê-las como uma oportunidade para educar emocionalmente nossos filhos para que entendam os limites e desenvolvam habilidades sociais que irão necessitar em um futuro não muito distante. 

As birras infantis são normais, necessárias e indicativas de um correto desenvolvimento dos nossos filhos entre os 2 e 5 anos. Nesta idade, é absolutamente normal que as crianças tenham birras. É claro que a gente deve tratá-las de acordo com o nível de idade de cada criança. As birras não são indicativas de nenhum transtorno.

As birras de acordo com a idade das crianças

- Uma criança de dois anos com birras é uma criança em plena formação e desenvolvimento do seu eu, da sua personalidade que explora os seus limites e os dos demais.

- Entre os dois e os quatro anos as crianças iniciam uma etapa onde necessitam de autonomia e independência para explorar e entender o mundo que as rodeia. Esta necessidade crescente de autonomia vai gerar uma multidão de situações nas quais a criança se sente frustrada. Em outras ocasiões veremos que necessita reivindicar, expressar suas necessidades, seus gostos ou inapetências, daí tantas negativas e do ‘não’ sistemático a tudo durante esta etapa. 

Nesta idade, o desenvolvimento da linguagem expressiva e compreensiva é outro fator que contribui para o aparecimento das birras. Durante este período as crianças ainda não têm a capacidade suficiente para expressar com palavras tudo aquilo que pretendem ou necessitam. Mas, tão pouco entende tudo o que dizemos a elas, do mesmo modo que um adulto o faz. Não são capazes de tolerar a frustração e fica complicado compreender que não podem ter sempre o que querem. Tão pouco as crianças são capazes de verbalizar o que desejam, por isso o resultado é a fórmula ideal para que apareçam os chutes, teimosia ou birras. Os pais ou adultos que ajudam na educação da criança devem aproveitar essas ocasiões para dar palavras às suas emoções e ajudá-las no seu crescimento.  

O que as crianças aprendem com as birras

- Através das birras a criança compreende os limites, ainda que isso não evita que uma ou outra vez ela tente nos provar.

- Através das birras existe o desenvolvimento de uma habilidade social imprescindível: saber dizer não, expressar o seu desagrado, frustração ou incômodo. Somos nós, os pais, que temos o dever de ensiná-las pouco a pouco, dar nomes aos seus sentimentos e emoções, ajudando-as a desenvolver sua inteligência emocional. 

Sara Tarrés Corominas

Psicóloga infantil 

Orientadora infantil