Crianças que maltratam suas babás

O que fazer se as crianças tratam mal às suas babás ou cuidadores

Vilma Medina Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Caprichosos, tiranos, déspotas, manipuladores, exigentes ou pequenos ditadores? O que existe por trás de uma criança que maltrata as suas babás? Falta de limites, muita permissividade ou um transtorno de conduta? Como são as crianças que maltratam seus cuidadores e por que o fazem? 

A gente te explica como reconhecer quando o seu filho está maltratando à sua babá e o que fazer para evitá-lo. 

Como são as crianças que maltratam aos seus pais e educadores

crianças-que-maltratam-suas-babás A 

‘Tonta’, ‘Má’, ‘Você não é minha mãe’, ‘Compre isso pra mim ou eu gritarei até que você compre’... Cada vez são mais crianças que ao crescerem se convertem em chantagistas, pequenas opressoras dos seus pais e educadores, crianças totalitárias que impõem sua vontade à base de insultos, ameaças, chutes, empurrões, mordidas

- Trata-se de crianças com um alto índice de impulsividade e intolerantes à frustração, que não aceitam ‘não’ como resposta e que diante de negativas aos seus desejos respondem com um amplo leque de agressividade tanto física como verbal

- Esse é o perfil das crianças que acabam maltratando aos seus pais ou educadores, crianças que ao chegarem à adolescência se tornam muito resistentes a entenderem e aceitarem as normas sociais estabelecidas e se rebelam contra elas com todas as suas forças. 

- São crianças com grandes dificuldades para controlar e canalizar as suas emoções que acabam maltratando aos seus queridos mais próximos. Crianças com baixa autoestima, frágeis e submissas com os seus companheiros, mas agressivos no meio familiar. 

Mas, por que eles se convertem em crianças que maltratam, por imitação ou por falta de limites? Por um problema de conduta, por ter uns pais muito exigentes ou pelo contrário, muito permissivos

Por que uma criança maltrata a sua educadora? 

Não existe uma única causa que explique porque uma criança maltrata a sua babá ou aos seus pais, ainda que pudesse ser explicado por diferentes fatores tanto educacionais, como por ter uma patologia concreta como um transtorno de comportamento, ainda que os estudos realizados até esta data indiquem que menos de 50% das crianças e adolescentes que maltratam não têm nenhum diagnóstico psicopatológico que explique a sua forma de agir. 

Conselhos para pais com filhos que maltratam

O certo é que os pais devem ajudar aos seus filhos a aceitarem as suas frustrações. Devem impor limites e normas, ao mesmo tempo em que devemos ensiná-los a expressar adequadamente a sua raiva, emoção por outro lado totalmente normal como é a alegria ou o medo. Aqui você tem alguns conselhos para evitar que o seu filho se torne em um tirano: 

- Evitar que uma criança se chateie, dando-lhe tudo o que pede no momento é um convite à tirania e a uma chantagem posterior. Não há nada ruim em que uma criança aprenda que não pode ter tudo o que quer, muito menos a tê-lo mediante choros, gritos, insultos ou chantagens de outro tipo. 

- Por outro lado, um excesso de controle, uma rigidez excessiva, proveniente de uma educação autoritária e ditatorial é também absolutamente nefasta, já que a criança aprende que é mediante o uso da força, coação, as ameaças e os castigos que consegue obter o que deseja. 

Seja como for, o abandono de nossas funções paternas, a superproteçao ou exigência demasiada, a falta de limites claros e, sobretudo a ausência de carinho, amor e compreensão podem converter os nossos filhos em pequenos tiranos, déspotas que não duvidarão em usar algum tipo de insulto, choro ou coação para tratar de satisfazer os seus desejos. 

Já que todos os pais buscam o melhor para os seus filhos, devemos levar em conta que se a educação e criação nos mostram sérias dificuldades e vemos que não somos capazes de reconduzir a situação que vivemos, devemos pedir ajuda o quanto antes para que o problema não se agrave. 

Sara Tarrés Corominas

Psicóloga infantil 

Orientadora infantil