A criança de 4 anos e as suas capacidades

Desenvolvimento físico e mental de uma criança de 4 anos de idade

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

A criança de 4 anos é mais independente. Ela se sente capaz de controlar sua própria força e segurança. As crianças gostam de fazer parte das tarefas domésticas e se ocupam de suas próprias coisas. Conseguem lavar as mãos e o rosto, guardar sua própria roupa, arrumar o lençol da sua cama, escovar os dentes e guardar seus brinquedos, e tudo isso, sozinhas! Elas se relacionam muito bem com seus amiguinhos e lhes encanta convidá-los para a sua casa. 

A idade que as crianças começam com os porques

Como é uma criança que tem 4 anos de idade

Pode subir e descer as escadas com mais facilidade, participar em jogos de competição e sempre se encontrará disposta para brincar com o que seja. Demonstra claramente sua preferência quanto à roupa, ao penteado, à comida e aos amigos. 

Começa a fazer perguntas sobre todos os aspectos que lhes despertem a curiosidade e demonstrará certo interesse sobre seu nascimento e sobre a morte. As crianças amam ver fotografias e assistir vídeos de quando era menor.

No seu nível de pensamento se percebe uma evolução, já que pode classificar os objetos e os materiais pela cor, forma ou número. Mas não é só isso, já que têm noções de espaço e compreende termos como: dentro, fora, acima, embaixo. Do mesmo modo também narra experiências da vida cotidiana com mais facilidade e melhor pronúncia. 

As 4 anos começam os desafios

Nessa idade a criança apresenta uma instabilidade nas suas emoções. Ri e chora sem uma razão aparente, e isso faz com que às vezes retornem às birras que tinham aos dois anos de idade. Quer impor seus desejos desafiando aos seus pais. A criança de quatro anos vai sentir uma preferência especial pela sua mãe, se é um menino, identificando-se com o pai e competindo com ele pela sua mãe. No entanto, a menina mostrará queda por seu pai e agirá igualmente ao menino. 

É uma fase em que os pais devem ter muita paciência, tato e controle da situação. Não devemos nos esquecer de que estamos tratando com uma criança, que tem uma capacidade de compreensão muito limitada, e somos nós, os pais, que devemos ensiná-la pouco a pouco. 

Além disso, a criança começará com os porquês. Buscará respostas e convém responder a ela sempre com a verdade. Ao responder a uma criança, estamos ensinando-a a pensar e a estamos ajudando a formar as bases de sua visão do mundo.