Apneia do sono durante a gravidez

Os transtornos que acontecen no sono nas gestantes

Vilma Medina Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

A gravidez afeta o sono devido as alterações hormonais e fisiológicas, fatores físicos e mudanças no comportamento. Os roncos e a apneia do sono se tornam mais comuns à medida que a mulher aumenta de peso.

A apneia do sono é um transtorno respiratório em que a pessoa que está dormindo para de respirar durante alguns segundos. Durante esse tempo, não se recebe oxigênio, e um dos órgãos mais afetados é o cérebro; na mulher gestante, a placenta e como consequência, o bebê. As pausas podem acontecer de maneira isolada ou se repetirem centenas de vezes durante a noite, com graves consequências.

Sintomas da apneia do sono em gestantes

Problemas para dormir durante a gravidez

Os principais sintomas que nos podem fazer pensar que uma pessoa sofre de apneia obstrutiva do sono podem ser divididos em noturnos e diurnos.

Dentre os sintomas noturnos destacamos os seguintes: 

- Ronco forte e persistente 

- Pausas constatadas da respiração (apneia) 

- Asfixia ou respiração ofegante devido à falta de ar e sono agitado 

- Visitas frequentes ao banheiro 

 Dentre os sintomas diurnos, encontramos:

- Cefaléias na primeira hora da manhã 

- Sonolência durante o dia 

- Falta de concentração e irritabilidade 

- Em longo prazo e sem tratamento podemos ter hipertensão arterial, diabete tipo 2, infartos, acidentes cerebrovasculares, insuficiência cardíaca... 

O principal sintoma da apneia do sono é o ronco, mas é importante saber que nem todo ronco é consequência desse transtorno. Na gravidez, e, sobretudo no terceiro trimestre, ronca-se mais e dentre as suas causas podemos encontrar as seguintes: 

- Alterações hormonais próprias da gravidez: a progesterona (necessária para que o útero tenha contrações até a hora do parto) relaxa a musculatura das vias aéreas, que tem maior probabilidade de se colapsar ou se estreitar, produzindo o ronco. 

- Aumento de peso próprio da gravidez.

- Outros problemas de sono associados (pernas inquietas, aumento do despertar noturno para ir ao banheiro). 

Consequências da apneia do sono na mãe e no feto 

As consequências da apneia do sono continuam sendo investigadas a curto e longo prazo, em relação ao rompimento da oxigenação durante o período de sono na mamãe e no bebê e algumas pesquisas parecem começar a dar seus frutos. Conheça algumas consequências da apneia do sono para a mãe e para o feto: 

- Baixo peso ao nascer

- Risco de que a mãe desenvolva pré-eclampsia

- Existe um estudo que diz que 7 de cada 10 mulheres com diabetes durante a gravidez poderia sofrer de apneia do sono, sobretudo se apresenta outros fatores de risco associados, como o sobrepeso ou hipertensão

Para finalizar, gostaria de dizer que o diagnóstico da apneia obstrutiva do sono é simples, mas é necessário um exame diagnóstico que dura toda uma noite, em que se estuda o comportamento da pessoa durante o sono. O exame é chamado de polissonografia, que pode ser feito em laboratório do sono ou em deteminados casos, em casa com aparelhos portáteis, e o seu tratamento é fácil. A gravidez parece ser um momento adequado para detectar aqueles casos sem diagnóstico, e se a mulher sofre de mais de um sintoma aqui citados, seria conveniente procurar o médico para realizar outros exames para confirmar o diagnóstico. 

Sara Cañamero de León
Matrona