A hepatite B em crianças

Contágio, sintomas e tratamento da hepatite B em crianças e bebês

Vilma Medina Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

A hepatite é uma inflamação do fígado. A hepatite B (também denominada hepatite sérica) é causada pelo vírus da hepatite B. 

O VHB pode provocar um amplo leque de sintomas, desde mal estar geral até doença hepática crônica que, ao longo do tempo pode desembocar num câncer de fígado. A hepatite B é uma infecção viral do fígado que pode dar lugar tanto a um quadro agudo a uma doença crônica. 

Como se transmite a hepatite B às crianças

a-hepatite-b-em-crianças A

O vírus da hepatite B pode ser transmitido aos bebês por algum membro da família. O mais comum é que se produza em forma de infecção subclínica, quando um membro da família ou outro adulto portador do vírus tem contato frequente com a criança. 

A infecção pode se produzir de forma óbvia (por exemplo, se o adulto tem um pequeno corte na mão e a criança tem a pele ferida por um machucado). 

Contágio da hepatite B 

O contágio da hepatite B ocorre através de fluidos corporais infectados, como o sangue, a saliva, o sêmen, as secreções vaginais, as lágrimas e a urina. E também mediante transfusões de sangue contaminado, ao compartilhar agulhas ou seringas infectadas, ao manter relações sexuais com uma pessoa contaminada pelo VHB ou mediante o contágio de um recém-nascido pela sua mãe infectada. 

Segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde), as crianças infectadas antes de cumprir os seis anos são as mais expostas ao risco de desenvolver infecções crônicas: 

- Entre 80 e 90% dos lactentes infectados no primeiro ano de vida sofrem infecção crônica; 

- Entre 30 a 50% das crianças infectadas entre um ano e quatro anos desenvolvem infecção crônica. 

Como prevenir a hepatite B 

A vacina da hepatite B faz parte do calendário de vacinação de muitos países que é aplicada aos 2, 4 e 6 meses. A Academia Americana de Pediatria recomenda aplicar a vacina da hepatite B ao bebê recém-nascido, com um mês e aos seis meses de vida.

O prognóstico da hepatite B é bom e as complicações como a hepatite crônica, fulminante ou cirrose se encontram em aproximadamente 10% dos pacientes.