A hepatite na gravidez

Os vírus da hepatite na gravidez

Vilma Medina Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

A hepatite é uma inflamação do fígado que pode causar dor abdominal, fadiga, febre, prurido, icterícia (cor amarelada na pele e olhos), inapetência, náuseas, vômitos e perda de peso. A gravidade da hepatite na gravidez depende de muitos fatores. A hepatite pode começar e melhorar rapidamente (hepatite aguda) ou pode causar uma doença prolongada (hepatite crônica). A hepatite na gravidez também pode desencadear um dano hepático, insuficiência hepática ou inclusive câncer de fígado.

Causas da hepatite na gravidez

Hepatite durante a gravidez

Geralmente essa doença é causada por um vírus (hepatite A, B ou C); algumas doenças autoimunes, o álcool, a superdosagem de alguns remédios e certos transtornos hereditários também podem causá-la. 

Tipos de hepatite virais na gravidez 

-  Hepatite A. É transmitida através da água e alimentos que foram contaminados pelas fezes que contêm o vírus da hepatite A. Os sintomas podem ser leves. Não existe um tratamento específico, mas habitualmente desaparece sem complicações. 

-  Hepatite B. O vírus da hepatite B é transmitido através do contato com sangue ou fluídos corporais contaminados. Entre as vias de transmissão se inclui, portanto, a perinatal (da mãe para o filho durante a gravidez ou no parto). A infecção pode passar despercebida ou causar os sintomas mencionados. Em alguns casos desaparece sem complicações. Em outros se desenvolve uma hepatite crônica. 

Nos exames de sangue que são realizados no primeiro trimestre da gravidez, inclui-se a detecção do vírus da hepatite B. No caso de apresentar infecção durante a gravidez, é administrada a imunoglobulina e a vacina da hepatite B nas primeiras horas de vida para evitar a infecção. O aleitamento materno não é contraindicado.

-  Hepatite C. O vírus da hepatite C se transmite pelas mesmas vias que o vírus da hepatite B. A maioria das pessoas infectadas desenvolvem hepatite crônica. Existem remédios que diminuem ou eliminam o vírus do sangue, reduzindo assim o risco de complicações (cirrose e câncer de fígado). 

No exame de sangue do primeiro trimestre também se inclui a detecção do vírus da hepatite C. No caso de apresentar infecção durante a gravidez, o objetivo do tratamento é diminuir a carga viral. Dessa forma, o risco de transmissão ao recém-nascido será menor. Atualmente não existe vacina contra a hepatite C. 

-  Hepatite D. O vírus da hepatite D só se encontra em pessoas portadoras do vírus da hepatite B. Sua presença pode agravar os sintomas da infecção por hepatite B. O diagnóstico e tratamento da hepatite B podem ajudar a prevenir a hepatite D. 

-  Hepatite E. O vírus da hepatite E é transmitida pelas mesmas vias que o vírus da hepatite A. A hepatite E aparece em forma de surtos epidêmicos em países onde o tratamento da água é deficiente. 

Aurora Fernández-Cañadas. Redatora