A hepatite C em crianças

Os sintomas, diagnóstico e tratamento da hepatite C em crianças e bebês

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

A hepatite é uma inflamação do fígado. Os casos de hepatite C são mais raros e menos numerosos nas crianças.

A hepatite C é transmitida através do contato direto com o sangue de uma pessoa infectada. Não é transmitida através do leite materno, alimentos ou água, nem pelo contato ocasional, por exemplo, abraços, beijos e comidas ou bebidas compartilhadas com uma pessoa infectada. 

Contágio e sintomas da hepatite C

a-hepatite-c-em-crianças A

Os sintomas provocados pelo vírus da hepatite C podem ser muito parecidos aos provocados pelos vírus das hepatites A e B. No entanto, a infecção pelo vírus da hepatite C pode conduzir, com o tempo, a uma doença hepática crônica e, portanto constitui o principal motivo de transplante de fígado.

O contágio da hepatite pode ocorrer ao compartilhar agulhas e seringas, ao se fazer tatuagens ou colocar piercings com material não esterilizado, mediante transfusões de sangue, mediante o contágio de um recém-nascido pela sua mãe infectada e através das relações sexuais em adultos. 

A hepatite C é também um risco habitual nos centros de diálises. Raramente as pessoas que convivem com um doente de hepatite C podem se contagiar ao compartilhar objetos que possam conter sangue do doente, como barbeadores elétricos ou escovas de dente. 

O vírus da hepatite C (VHC) causa infecção aguda e crônica. Em geral, a infecção aguda é assintomática e muito raramente se associa a uma doença potencialmente mortal. Aproximadamente de 15 a 45% das pessoas infectadas eliminam o vírus espontaneamente num prazo de seis meses, sem necessidade de nenhum tratamento. 

Diagnóstico e tratamento da hepatite C

Todas as formas virais da hepatite C podem ser diagnosticadas e pode se fazer um acompanhamento do seu tratamento mediante uma análise de sangue confiáveis e facilmente acessíveis. 

A hepatite C nem sempre requer tratamento, porque em algumas pessoas a resposta imunitária eliminará a infecção espontaneamente. Quando o tratamento for necessário, o objetivo é a cura. A taxa de cura depende de alguns fatores tais como extirpação do vírus e o tipo de tratamento que se dispensa. Antes de começar qualquer tratamento é recomendado realizar um exame minucioso a fim de detectar o enfoque mais apropriado para o paciente. 

Os medicamentos antivirais podem curar a infecção da hepatite C, mas o acesso e diagnóstico e tratamento é muito limitado.

O tratamento antiviral consegue bons resultados em 50 – 90% dos casos, em função do tratamento aplicado, e tem se demonstrado eficaz para limitar o desenvolvimento de cirrose e câncer de fígado. 

Na atualidade não existe nenhuma vacina contra a hepatite C, mas as pesquisas nessa esfera continuam.