A atitude da criança diante da enurese

A atitude e a reação da criança diante da enurese

Vilma Medina Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

O quanto antes for detectado a enurese e se tenha um diagnóstico preciso do problema, melhor para a criança e para a sua família. Quanto maior for a criança, mais difícil e duradouro será o tratamento, ainda que normalmente o tratamento seja positivo. 

Não existe um único tratamento para a enurese, já que se trata de um transtorno multifatorial. Salvo as medidas gerais de atuação, não convém instaurar nenhum tratamento antes dos 6 ou 7 anos, e em todo o caso se deve levar em conta qual a atitude, tanto dos pais como da criança diante desse transtorno. 

Como age uma criança com enurese

a-atitude-da-criança-diante-da-enurese A 

A resposta da criança é variável de acordo com a idade que tenha. No início, ela não se importará em fazer xixi na cama. Depois começa a se preocupar, em parte devido à ansiedade e à preocupação que seus pais demonstrarem. Ou, pelo contrário, pode reagir de forma transgressora para chamar a atenção ou impor seus pontos de vista. 

Quando a criança tem mais idade é mais fácil que acabe se desanimando ao ver que não melhora e, sobretudo quando percebe que a enurese começa a condicionar suas saídas, e consequentemente sua vida social. A criança se sentirá desanimada e impedida, e em algumas ocasiões, deixa de ir a uma excursão ou dormir fora de casa na casa de um amigo, ou ainda de sair para um acampamento de verão, etc. Pode chegar a se envergonhar quando está com outras crianças e começar a apresentar baixa autoestima. Tudo isso pode levar a criança a desenvolver problemas emocionais como a ansiedade e a depressão. A criança pode pedir a colaboração dos seus pais para que mantenham o seu problema em segredo. 

Se o tratamento tem efeito, ou seja, avança positivamente, as crianças podem ter uma atitude de compromisso e satisfação diante dos resultados. Deve-se incentivar uma atitude de reconhecimento diante dos pequenos êxitos.