Enurese infantil: Quando procurar um especialista?

Quando se deve levar a criança que faz xixi na cama ao médico

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

A enurese consiste na micção involuntária a partir de uma idade em que já se deveria ter adquirido o controle da bexiga.

Os pais podem ajudar a criança a resolver esse problema incentivando-a através de um sistema de prêmios, à medida que vai conseguindo se controlar. É bom lembrar que a enurese é involuntária e por isso a criança não deve ser castigada por isso, mas ajudada. Ansiedade ou rigor excessivo nesse caso só vai piorar.

Os pais devem dar dois passos essenciais diante do problema do filho fazer xixi na cama: o primeiro é reconhecer o problema, e segundo tratá-lo com normalidade. Na opinião dos especialistas, devemos controlar esse problema, mediante a prevenção e a detecção precoce da enurese, levando em conta e considerando algumas circunstâncias.

Quando levar seu filho para um especialista em enurese infantil?

- Quando está influenciando negativamente na psique da criança, dos pais ou na dinâmica familiar.

- Quanto após um grande período de controle, a criança começa repentinamente a molhar a cama.

- Se a urina tem mal odor.

- Se lhe dói ou arde ao fazer xixi.

- Se a criança urina mais do que o normal, sobretudo se acompanha muita sede ou perda de peso não explicável por outro motivo.

- Se urina muitas vezes, mas em pequenas quantidades.

- Se sofre prisão de ventre considerável.

Se a enurese é uma patologia benigna, seu diagnóstico é relativamente simples. Deve-se levar em conta:

- O histórico clínico, em que o pediatra perguntará se existem antecedentes familiares de enurese ou a técnica utilizada no controle de esfíncteres. 

- O diário da quantidade de vezes que se faz xixi para uma melhor avaliação do caso. Consiste em contar o número de micções diárias e seu volume aproximado durante três ou sete dias.

- A sondagem física que inclui o peso, tamanho, pressão arterial, assim como a palpação do abdômen, avaliação da área genital e anal e dos reflexos nervosos da área e das pernas.

Segue abaixo algumas medidas práticas que ajudam na resolução do problema:

- O banheiro deve ficar o mais próximo possível do quarto da criança, facilitando o acesso a ele.

- Sempre deixar uma luz acesa para ajudar a chegar ao banheiro com facilidade.

- Não encoraje o uso de fraldas.

- Proteja o colchão.

- Estimule seu filho a ingerir líquidos durante o dia para que possa reconhecer a sensação de bexiga cheia e reduza a ingestão de líquidos durante a noite.