Primeiros socorros. Entrevista com Jeannette Álvarez da Cruz Vermelha

Conselhos para prestar os primeiros socorros ao seu filho

Vilma Medina Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Descubra através das mãos de Jeannette Álvarez Colino, enfermeira e formadora da Cruz Vermelha em Madrid, como agir diante de um acidente e prestar os primeiros socorros a um bebê ou a uma criança. Conservar a calma, seguir alguns conselhos práticos em cada caso ou chamar o serviço de urgências são os primeiros passos a seguir para socorrer de maneira eficaz antes da chegada dos serviços médicos. 

Como devemos agir para ajudar um bebê ou uma criança acidentada?

primeiros-socorros-entrevista-Jeannette-cruz-vermelha A

Na hora de saber como agir diante um acidente, deve-se levar em conta que quando se trata de uma situação que envolve nosso filho, um sobrinho, um primo ou neto, os nervos podem atrapalhar. É necessário avaliar a situação com rapidez, observando o cenário onde o acidente ocorreu. 

Isso nos pode fazer entender o que ocorreu e atuar devidamente. Por exemplo, no caso de uma queimadura, pode-se verificar rapidamente o foco de calor próximo à criança, ou quando aconteceu uma pancada, seguramente ao seu lado haverá um objeto que nos faça suspeitar tal circunstância. 

Conselhos de Primeiros Socorros

O que nunca devemos fazer? 

Como norma geral, nunca devemos realizar técnicas de massagem que a gente não conheça. E, sobretudo, evitar o desespero. Por isso, antes de agir sem sentido, é essencial pedir sempre a ajuda ou a colaboração de alguém que esteja perto da gente. 

O que podemos fazer diante de uma ferida que sangra? 

Em caso de sangramento, está comprovado que a compressão direta em cima da ferida é a melhor técnica para deter a hemorragia. Deve-se agir sobre o foco do sangramento de forma imediata, lavando a ferida com água e sabão e com a colocação de uma venda. A seguir devemos levar a criança a um serviço de urgência médica para descartar possíveis lesões, que não pudemos identificar ou porque a ferida precisa de sutura. 

O que acontece quando uma criança, não consegue chorar ou não pode tossir? 

É possível que qualquer objeto possa estar obstruindo suas vias respiratórias e a criança não possa respirar. Diante dessa situação, devemos agir, para restabelecer a respiração de forma imediata. Os passos a seguir são: se a criança pode tossir ou tem náuseas, deve deixar até que se expulse o corpo estranho. 

Mas, se a criança não pode tossir, deve-se chamar o serviço de emergência (isso qualquer pessoa pode fazer), enquanto iniciamos a técnica de dar batidas nas costas da criança. No caso de estarmos sozinhos com a criança, primeiro realizaremos as batidas nas costas, acompanhados de compressões torácicas durante um minuto, e tentaremos soprar ar. Em seguida, chamaremos o serviço de emergência. 

E se a criança não pode respirar devido a uma reação alérgica

Nesse caso, avisar imediatamente o serviço de emergências, ou se for próximo à sua casa e houver demora no atendimento, levar a criança sem demora. Provavelmente pode-se tratar de uma inflamação das vias aéreas da criança provocada por um choque anafilático (alérgico), quando se está em espaços abertos e ainda não saibamos que a criança possa ser alérgica a picadas de alguns insetos como vespas ou abelhas. 

No caso de queimaduras, o que devemos fazer e o que nunca devemos fazer? 

Em primeiro lugar, esfriar a ferida o quanto antes com água fresca e corrente durante 15 ou 20 minutos até que a dor atenue. Devem-se retirar as roupas do bebê ou da criança, assim como todos os objetos que possam comprimir ou façam reter calor (anéis, pulseiras, relógios...) e aplicar compressas, gases ou lenços molhados depois de haver esfriado a queimadura. Depois se aplicará um antisséptico para evitar a infecção. Nunca se deve estourar as bolhas, nem aplicar pomadas ou unguentos no primeiro momento. Tão pouco se deve esfriar a queimadura com água muito fria. 

Como devemos agir quando a criança levou uma pancada? 

As lesões por pancadas ou traumatismos podem ser muito variadas: contusões, luxações, fraturas de ossos, torções, e afetar muitas estruturas: crânio, coluna e extremidades. Em geral, como primeira medida, convém aplicar frio sobre a lesão. Se aplicar gelo, nunca diretamente, mas protegido por um pano durante uns 20 minutos. Evitar mobilizar o acidentado: se aconteceu numa perna, evitar que se apoie; se aconteceu num braço, procurar mantê-lo grudado no corpo. Convém lembrar que em todas as lesões ósseas, os sintomas podem aparecer mais tarde e um mau critério de atuação pode produzir uma lesão muito mais grave. 

Diante das intoxicações, deve-se provocar o vômito? 

A princípio não se deve provocar o vômito, pois se a intoxicação é produzida por um produto de limpeza, por exemplo, pode causar dano ao entrar e também ao sair. Convém recolher uma mostra do produto tóxico e chamar o serviço de urgências ou levar a criança diretamente ao hospital. 

Marisol Nuevo