Medidas para evitar o contágio de piolhos na escola

Conselhos para prevenir o contágio de piolhos na escola

Vilma Medina Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Os piolhos, assim como as lêndeas, são considerados um dos problemas mais preocupantes que podem afetar a cabeça das crianças. A escola ou o colégio é o lugar onde mais se proliferam os piolhos, devido a grande quantidade de crianças concentradas. Como evitar que o seu filho contagie ou seja contagiado con piolhos na escola?

Como evitar o contágio de piolhos na escola

Quando as crianças pegam piolhos na escola

Ainda que os piolhos da cabeça não transmitam doenças e não representem riscos para a saúde das crianças, pode provocar danos ao couro cabeludo se não forem eliminados. Em razão disso, um trabalho de prevenção é mais que recomendado durante todo o ano escolar, tanto para prevenir como para evitar que a infestação de piolhos se expanda.

Para evitar uma infestação, surto ou epidemia de piolhos nas escolas, é necessário que os pais e os alunos também se dediquem a isso. Para isso é aconselhável que tanto os professores como os pais adotem algumas medidas e cuidados para prevenir a pediculose entre os estudantes.

1 – É extremamente importante que os educadores apresentem aos alunos uma informação completa sobre os piolhos, ou seja, como acontece o contágio, que sintomas indicam uma infestação de piolhos, e o que a criança deve fazer se encontrar algum piolho em sua cabeça ou na cabeça de algum companheiro de escola. 

2 – Quando detectar algum caso de piolhos é aconselhável que a direção da escola informe imediatamente aos pais da criança afetada, para que adotem as medidas pertinentes para eliminar os piolhos e as lêndeas que seu filho possa ter. 

3 – Evitar que as roupas, ou seja, gorros e bonés, chapéus, cachecol, abrigos e outros elementos estejam juntos no vestuário ou em sala de aula. Os piolhos não voam nem pulam, mas caminham rapidamente entre um elemento e outro. 

4 – Devem-se aconselhar as crianças que não compartilhem pentes, escovas, toalhas, grampos, presilhas, etc. Uma só criança com piolhos pode contaminar muitas outras crianças. 

5 – Se existem casos de piolhos na escola, pedir às crianças que evitem o contato de cabeça com cabeça, que as meninas busquem prender os cabelos e os meninos os cabelos mais curtos o possível. 

6 – Vigiar e aumentar as medidas de higiene tanto na aula como nos corredores, piscinas e demais dependências da escola. Fora do corpo humano, os piolhos podem sobreviver até 48 horas, inclusive na água da piscina

7 – É necessário desmistificar que os piolhos estão relacionados com a falta de higiene das crianças. É aconselhável esclarecer às crianças que os piolhos não fazem distinção de classe social, nem cor de pele, nem do estado de higiene. Os piolhos só precisam do calor humano e do sangue para sobreviver e se reproduzir. 

8 – As crianças devem ser aconselhadas para que não se esqueçam de escovar os cabelos todos os dias antes de ir para a escola.