O perigo da malária para crianças e gestantes

Sintomas e tratamento da malária em crianças e grávidas

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

A malária durante gravidez pode ter um alto impacto nos bebês. A doença causa vários problemas nos bebês nascidos de gestantes infectadas pela doença.

As crianças até seis anos de idade e as gestantes são os principais grupos de risco. A criança pode desenvolver a doença por falta de imunidade. Quanto à grávida, a relação entre o Plasmódio e a placenta, pode gerar processo inflamatório alterando a placenta e representando um risco para a grávida e o bebê, que poderá nascer com baixo peso.

O que é a malária

A malária em bebês e gestantes

A Malária é uma doença infecciosa causada por um protozoário chamado Plasmódio, e é transmitido pela picada de um mosquito (fêmea do mosquito Anopheles). Quando ele suga o sangue de uma pessoa com malária, vem junto parasitas dessa doença, transmitindo assim para outras pessoas.  

Sintomas da malária

Dor de cabeça, dor no corpo, calafrio ou tremedeira, febre e muito suor. Esses sintomas podem aparecer de 9 a 40 dias depois da picada. 

A doença, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), pode ser considerada 'grave' ou 'não complicada', de acordo com os sintomas. 

Como se prevenir da malária

1 – Evitar água parada perto da casa.

2 – Limpar valas e igarapés.

3 – Evitar construir casas próximas a riachos e igarapés.

4 – Sempre proteger as casas com telas e fechar as portas e janelas ao entardecer.

5 – Dormir com mosquiteiro.

6 – Facilitar o acesso do agente de saúde quando estiver borrifando as paredes da casa.

Quais as complicações da malária em crianças e gestantes?

Em grávidas, a malária pode apresentar complicações duas vezes maiores do que nas mulheres que não estão grávidas. Pode ocorrer o risco de aborto nos seis primeiros meses de gestação. Se a mulher estiver na segunda metade da gravidez pode sentir diminuição da resistência física, além do aumento das chances de ocorrer pré-eclampsia e eclampsia

Os bebês com malária ficam sonolentos e molinhos, perdem o apetite, sentem muito frio e ainda podem ter vômitos e convulsões e febre que varia de 38,5ºC a 40ºC. Alguns bebês podem sentir dores abdominais e diarréia. Caso o bebê tenha menos de três meses, os pais devem procurar cuidado médico o quanto antes, porque são mais sensíveis e a doença pode se agravar rapidamente. As crianças com mais de um ano têm a evolução da doença semelhante a um adulto.

A malária no Brasil

No Brasil, 97% dos casos ocorrem na região amazônica (Amazônia legal) e pouco menos de 2,9% nas regiões próximas, sendo mais de 80% nas áreas rurais.