Ensinar o filho a pensar é possível?

Como educar o pensamento das crianças

Vilma Medina Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Alguma vez na vida já tive que perguntar ao meu filho: para que você tem cabeça? Uma decisão tomada às pressas, uma solução impulsiva a um problema que tenha trazido más consequências ou fazer algo sem ter pensado bem são as razões fundamentais pelas quais a gente chama a atenção dos filhos.

Aprender a usar a cabeça ou a pensar antes de fazer as coisas é possível sem tropeçar duas vezes na mesma pedra.

Conselhos para ensinar o filho a pensar

Educar el pensamento das crianças

Mas, como podemos ensinar aos nossos filhos a gerenciar bem os seus pensamentos, a ser inteligentes na hora de tomar decisões, a agir de forma positiva... Os psicólogos de família têm montado toda uma série de estratégias que ajudam as crianças e às não tão crianças a conduzir de maneira adequada os seus pensamentos colocando em prática uma série de conselhos úteis e vitais.

Da mesma forma que acontece em toda família a gente dá mais prioridade a umas coisas do que outras. O mesmo acontece com os valores na educação das crianças. Cada vez acostumados a manejar os manuais de auto-ajuda sabemos que nem tudo serve de grande ajuda e que sobressaia na nossa leitura quando estamos buscando algo que influencie a mudança que estamos procurando. 

Se você quiser que os seus filhos cresçam conhecendo a importância de saber pensar e quiser fazê-lo bem, a primeira e mais importante coisa é que ensine a eles a não enganar, a ser sinceros e a agir com coerência.

Mais do que ensinar a pensar, a função dos pais deve consistir em motivar aos filhos para que queiram pensar por conta própria, e para consegui-lo deve-se incentivar o diálogo em família e o exercício mental de raciocinar, de defender uma causa e de ter argumentos para tomar suas próprias decisões. 

Seguindo esta linha, se quisermos aprender a pensar devemos aprender com os erros e descobrir o mundo das equivocações, suas causas e suas consequências para retificar. Se pensarmos que educar é, essencialmente, crescer em liberdade e em responsabilidade, aprender a decidir bem resulta em um dos aspectos chave dessa tarefa: quando mais capacidade de decisão nossos filhos tiverem mais livres eles se sentirão. 

Aprender a decidir consiste em fazer perguntas. Os pais devem estimular, motivar, comentar e promover o clima adequado para favorecer o questionamento de muitos ‘porquês’, já que o ser humano progride argumentando novos problemas e buscando soluções. 

Mas, se existe algo bom para o pensamento é aprender do pensamento dos outros. Os livros são obras que alimentam a inteligência e se forem bons também podem encher o coração. Portanto, a leitura não apenas ajuda a pensar, mas também amplia o vocabulário e ajuda com que a gente se expresse com clareza para expor idéias e decisões. Incentivar o gosto pela leitura é uma forma de ensinar os nossos filhos a pensar. 

Marisol Nuevo

Redatora de Guiainfantil.com