A contaminação durante a gravidez prejudica o feto

Vilma Medina Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Um ambiente contaminado durante a gravidez pode prejudicar o feto e alterar o seu peso ao nascer. Quanto maior seja a taxa de contaminação que as mães estejam expostas mais baixo será o peso do bebê ao nascer. Quanto mais contaminação haja no meio ambiente, maior será a probabilidade de que os bebês nasçam com um peso inferior a 2.500g

O peso baixo ao nascer

a-contaminação-durante-a-gravidez-prejudica A 

Essa foi a conclusão que chegaram os pesquisadores de um estudo dirigido por Tracey Woodruff J., professor de Obstetrícia e Ginecologia e Ciências Reprodutivas da Universidade da Califórnia, EUA, junto com o Centro Nacional de Estatísticas de Saúde, Centros para o Controle e Prevenção de Doenças. A equipe analisou dados recolhidos de mais de 3 milhões de nascimentos em 14 países diferentes da Europa, América do Sul, América do Norte, Ásia e Austrália. 

A exposição à contaminação durante a gravidez também pode gerar consequências graves para a saúde do bebê que está se formando no ventre da sua mãe. A contaminação afeta a todos, mas especialmente às crianças e aos bebês durante o segundo mês de gestação. Nessa etapa da gravidez, os efeitos da contaminação podem afetar o desenvolvimento de sistemas e órgãos tão importantes como o coração, as orelhas, tornozelos, pulsos, boca, pálpebras, dedos que estão em formação. 

A contaminação provém de partículas microscópicas, muitas vezes não visíveis aos olhos, mas que se encontram no ar que respiramos. As futuras mamães que respiram altos níveis de ozônio e monóxidos de carbono durante a gravidez terão maior risco de que seus bebês nasçam com más formações faciais e cardíacas.

Evidentemente, o cigarro também influencia na contaminação do ambiente. Além disso, no caso da nicotina, seus efeitos não chegam somente através do ar que a sua mãe respira, mas é capaz de atravessar a placenta e chegar diretamente até o bebê. 

Vilma Medina

Diretora de GuiaInfantil.com