A partir de que idade as crianças podem tomar sorvete

Quando ou a partir de que idade podemos incorporar os sorvetes na dieta das crianças

Vilma Medina Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Em geral, os especialistas recomendam não dar sorvete para crianças menores de 1 ano. O principal motivo é que, até então, não é recomendável que se introduza na dieta do bebê nenhum alimento que contenha leite de vaca ou de outras espécies, incluindo seus derivados, salvo que sejam preparados especiais para bebês. A gente já chegou a postar que tem mães que usam o picolé de leite materno para o bebê em tempos de muito calor. 

A partir dos 12 meses, o leite e os seus derivados, incluindo os sorvetes, podem começar a fazer parte da dieta da criança

Precauções com os sorvetes para os bebês

a-partir-de-que-idade-crianças-tomar-sorvete A

1. As alergias. É conveniente aumentar as precauções quando os sorvetes contêm determinadas frutas ou frutos secos. Algumas frutas, como o morango, são altamente alergênicas, e é um ingrediente muito comum em sorvetes e picolés comerciais. Os frutos secos também são altamente alergênicos, e devido o risco de engasgar, não é bom recomendar sua administração até que a criança mastigue adequadamente, por isso é bom evitar os sorvetes que contenham esses frutos na sua composição. Neste ponto existe certa controvérsia quanto à idade concreta, mas deve ser adiada ingestão de frutos inteiros ou em pedaços, uma vez que não é possível generalizar. O tipo de dieta que o bebê tenha tido desde a introdução da alimentação complementar e a sua soltura mastigando podem dar uma idéia se está preparado ou não para o consumo. 

2. Colorantes e aditivos. Por outro lado, os sorvetes comerciais contêm muito colorante, conservantes e outros aditivos que podem causar alergias nas crianças pequenas, por isso os sorvetes feitos em casa são a opção mais saudável para os nossos filhos. Em particular, os sorvetes feitos por uma batida de frutas feita em casa, elaborados com leite ou iogurte natural em forma de picolé ou de outros formatos podem ser atrativos para a criança, uma vez que têm nutrientes provenientes da fruta e do leite, sem acréscimo extra de açúcar na sua composição. 

3. Intoxicações alimentares. Além do item higiene, quando se deve se assegurar que o estabelecimento onde os sorvetes são comprados está de acordo com as normas de higiene e segurança dos alimentos, os pais não devem se esquecer onde esses sorvetes e picolés serão acondicionados para manter longe as bactérias que podem causar infecções alimentares. A Salmonelose, em particular pode ocorrer pelo consumo de um sorvete contaminado com Salmonella, uma bactéria relativamente frequente em sorvetes elaborados à base de leite quanto estes não se mantêm em uma temperatura adequada. 

Por outro lado, é necessário levar em conta que os sorvetes, particularmente os comerciais, têm em sua composição grandes quantidades de açúcar, por isso o seu consumo deve ser ocasional, já que a ingestão elevada de açúcar se relaciona com as cáries e sobrepeso e obesidade infantil

Carlota Reviriego

Nutricionista