Quanto exercício uma criança deve fazer

Pirâmide do exercício das crianças desportistas

Vilma Medina Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

O esporte é essencial para a saúde e o desenvolvimento da criança. Por isso, é importante que os pais estimulem o seu filho desde muito cedo. Com exercícios simples, quando ainda é um bebê para incentivar o engatinhar e esportes ao ar livre para crianças maiores.

Também é importante que o esporte que a criança pratique esteja de acordo com a sua idade, capacidade e gostos. Mas, quanto esporte as crianças deveriam fazer? Assim como existe a pirâmide nutricional para indicar os alimentos que elas devam comer diariamente, também existe uma pirâmide do esporte para que os pais saibam quanto exercício seus filhos devem fazer.

A Pirâmide de exercício e a dieta a seguir de crianças desportistas

quanto-exercício-uma-criança-deve-fazer A 

Nem todos os exercícios contribuem com os mesmos benefícios para as crianças. Com efeito, se recomenda uma frequência diferente para cada tipo de exercício. Por isso, existe uma pirâmide do exercício para orientar os pais, da mesma forma que existe uma pirâmide nutricional para destacar os alimentos mais importantes na dieta das crianças. Assim, recomendamos: 

- Todos os dias: correr, brincar ao ar livre, brincar na gangorra, ir andando para a escola, subir escadas (ao invés de usar o elevador). 

- 5-7 dias da semana: atividades recreativas (jogos desportivos ou tradicionais), atividades aeróbicas (jogar futebol, basquete, vôlei, etc.). 

- 3 dias da semana: exercitar força e flexibilidade através da dança, saltos, artes marciais, etc. 

- Diminuir: comportamentos sedentários, televisão, smartphones, videogames, tablets. 

Quanto à dieta a seguir: O ideal é que a criança beba água, nada mais. Em ambientes muito quentes, se o exercício desenvolvido é intenso, pode optar por uma bebida isotônica. Não se recomenda beber refrigerantes nem sucos em caixinhas, devido o alto teor de açúcar. 

Sua dieta deve ser equilibrada e saudável, mas não especial. Sua base principal deve ser os hidratos de carbono, sem se descuidar de uma pequena, mas razoável porcentagem de proteínas e gorduras. Deve-se levar em conta que a criança que pratica um esporte de competição terá uma taxa metabólica maior e necessitará incorporar maior quantidade de alimento. O acompanhamento de um nutricionista ajudará a equilibrar a dieta de cada criança e assim evitar o sobrepeso e a obesidade infantil.

 

Iván Carabaño Aguado

Chefe do Serviço de Pediatria 

Hospital Universitário Rey Juan Carlos

Hospital Geral de Villalba