Atividades para aplicar o método Montessori em casa com as crianças

Como educar os filhos segundo a filosofia de María Montessori

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

María Montessori foi pedagoga, professora e psicóloga entre outros méritos, que deixou como legado um método e filosofia educativa seguido com admiração por milhões de pessoas em todo o mundo. 

O método se baseia principalmente no respeito à criança e na confiança nas suas habilidades. O método Montessori consiste em observar a criança a criar o meio adequado para que possa desenvolver ao máximo o seu potencial. Cada criança é diferente, por isso se favorece o aprendizado de forma autônoma na medida em que desenvolve suas capacidades. 

7 formas de aplicar a filosofia Montessori em casa

atividades-para-aplicar-método-montessori A 

A pedagogia Montessori se aplica em algumas escolas. No entanto, em casa os pais também podem colocar em prática e se beneficiarem dos seus métodos educativos. A gente propõe essas atividades para promover a autonomia e o aprendizado da criança segundo o método Montessori. 

1 – Cantinho dos jogos: a gente deve criar espaços delimitados na medida do possível em que a criança tenha seus livros numa área, caso queira ler; seus brinquedos em outro canto quando quiser brincar ou uma mesa com material para pintar ou manipular. É importante que a gente oriente a criança para que termine uma atividade antes de começar a seguinte. E tudo deve estar ao alcance das suas mãos para poder administrá-lo sem a ajuda de um adulto. 

2 – Estimulação sensorial: devemos familiarizar a criança com diferentes texturas, tamanhos e formas. Elementos como a madeira ou a tela ajudam a criança a despertar seus sentidos e a perceber o calor, o peso e o som. O plástico na filosofia Montessori não é um material muito utilizado, já que transmite pouca informação às crianças. 

3 – Períodos sensíveis: refere-se à capacidade de absorver conhecimentos das crianças e aprendê-los quase sem esforço. As crianças até os 3 anos têm uma forte tendência à ordem. Expô-las, pois, a rotinas de organização e no recolhimento dos seus materiais fará com que assimilem esse conceito de forma simples. Podemos facilitar-lhes a tarefa com cestos ou caixas de brinquedos. 

4 – Autonomia pessoal: para que a criança possa colaborar nas tarefas de casa e ir ganhando autonomia é necessário adotar o meio a ela. Por exemplo, colocar copos à sua altura para que possa utilizá-los e beber quando tiver sede. Também podemos colocar a roupa, livros, material de higiene ao seu alcance para que possa ir realizando suas tarefas sozinhas.  

5 – A vida prática: podemos estimulas as crianças para que façam atividades da vida diária como preparar uma receita, arrumar a casa, cuidar das plantas. Para isso devemos proporcionar-lhes utensílios adaptados ao seu tamanho. As crianças aprendem rápido a realizá-las e podem dedicar grande empenho nessas atividades.  

6 – Confiança: para que a criança ganhe confiança em si mesma e tenha boa autoestima é necessário animar-lhe e aplaudir-lhe nas suas conquistas. 

7 – Evitar prêmios e castigos: não se deve recompensar a boa conduta nem castigar a má. A criança deve aprender que deve fazer as coisas pela satisfação que proporciona fazê-las e não para obter um prêmio. Da mesma maneira, no lugar do castigo se deve trabalhar a consciência educativa, ou seja, no lugar de proibir, os pais e educadores devem ensinar o que acontece com as más ações. 

Em cada uma das atividades que a gente realizar em casa a gente deve levar em conta o que se conhece como ‘controle de erro’, ou seja, deixar a criança um espaço para que se dê conta se o tenha feito corretamente, ou não sem que a corrijamos. 

Alba Caraballo

Editora de GuiaInfantil.com