Diferenças entre a criança dedo-duro e a criança informante

Quais são as principais características das crianças dedo-duro

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

As crianças sempre gostam de agradar aos adultos e quando crescem, a partir dos 3 anos, quando já têm uma linguagem bem estabelecida e são capazes de diferenciar o bem do mal, elas podem se converter em crianças informantes sobre tudo o que acontece ao seu redor. As crianças têm um alto senso de justiça, e quando vêem que algo não está bem, rapidamente procuram um adulto para colocar a situação em ordem e isso não é ruim. 

Mas, as crianças que informam podem passar de ser informante a dedo-duro... Que diferença existe entre um e outro? A diferença está na intenção com que elas informam aos adultos. 

Diferenças entre a criança dedo-duro e a criança informante

diferenças-entre-a-criança-dedo-duro-informante A 

1. A criança dedo-duro, quando alguma coisa acontece algo ela decidirá ou não dependendo dos benefícios ou consequências que pode ter o acontecido para ela mesma. Ou seja, dependendo se for benéfico ou não para ela, a criança dedo-duro dirá o que acontece ou não ao adulto. 

2. Também, a criança dedo-duro dirá que algo acontece para poder acusar a outra criança e ver as consequências do ato da outra criança como espectadora. Uma criança dedo-duro deve ter certa malícia para poder decidir o que quer informar do que prefere guardar para si mesma. Pode ser que a partir dos 6 ou 7 anos, quando já são capazes de saber o que dizer e quando calar. 

3. Por outro lado, uma criança informante quando informa ao adulto ela quer é transmitir justiça seja o for que tenha ocorrido, inclusive se aquilo pode lhe afetar diretamente. Uma criança informante começa cedo. Aos 3 anos quando conta ao seu pai ou mãe tudo o que vem à cabeça que tenha acontecido na escola para poder se comunicar abertamente. Também, a criança informante será aquela que irá informar aquilo que não lhe parece correto ou quando algo vai mal ao adulto. 

4. Por exemplo, uma criança dedo-duro é aquela que no pátio da escola vai até o professor para dedurar que uma criança estava brincando com outras e que tenha empurrado a outra (ainda que sem querer) para que a castigue. Uma criança informante só irá ao adulto para informá-lo se o empurrão tenha sido proposital e a criança que tenha sido empurrada estiver passando mal. 

Como adultos, é muito importante que se tenha uma boa reação entre ambas as situações, mas no caso de que a criança seja dedo-duro terão que explicar a ela que faz bem em comunicar ao adulto o que tenha ocorrido, mas que deve informar sempre que seja necessário diferenciando do que realmente foi errado ou aquilo que foi sem querer. 

María José Roldán

Mestre e Psicopedagoga