Quando a criança interrompe constantemente

Conselhos para evitar que as crianças interrompam em momentos inadequados

Vilma Medina Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Alguma vez o seu filho te interrompeu enquanto você estava falando com outros adultos e não parou de te incomodar até que você fizesse caso a ele? Depois, é provável que o que ele tinha para te dizer não fosse tão importante para você, mas para ele sim, e por isso queria que você o escutasse a todo custo. Geralmente pode estar sendo provocado por uma falta de paciência ou pelo desejo de chamar a atenção dos adultos. 

Normalmente, as crianças podem interromper aos adultos desde quando têm 3 anos e até os 6, aproximadamente, mas é necessário saber o que fazer em respeito a isso quando acontece para que as crianças deixem de ter esse mau hábito e que pouco a pouco sejam capazes de controlar o seu comportamento. 

O que fazer quando uma criança interrompe constantemente

quando-a-criança-interrompe-constantemente A 

Quando uma criança não para de interromper, enquanto o adulto estiver falando é provável que o adulto acabe ficando nervoso (enquanto a criança grita cada vez mais forte para que prestem atenção a ela) e acaba dando um grito para que a criança se cale. Esta não é a solução. O sentimento da criança pode ser comovente diante de uma situação desse tipo. 

As crianças necessitam se sentir queridas, apoiadas, escutadas e valorizadas. Para isso é necessário ensiná-las que, ainda que o adulto esteja conversando com outra pessoa, os pais estarão ali e as escutarão quando a conversa chegar ao seu fim. 

1. Uma forma de consegui-lo é parar a conversa com o adulto, baixar à altura da criança e dizer-lhe olhando nos olhos: ‘Agora eu estou falando com (o nome da pessoa), e quando eu terminar você poderá me dizer o que quiser e enquanto isso você deve esperar alguns minutos’. E quando você terminar a conversa com o adulto lembre à criança para que te diga o que ela tinha em mente, assim ela se sentirá valorizada e poderá esperar a sua vez na próxima ocasião. 

2. No caso em que a criança não fique contente com isso, uma maneira de que saiba que você está ali e que te escutará quando acabar a conversa é colocando a mão no seu ombro para que se sinta reconhecida em todo o momento e depois se voltar a ela e falar sobre o que o pequeno tinha em mente. 

3. Por último, se uma criança for muito impaciente e interrompe constantemente, você pode dizer a ela que quando tiver algo a dizer, ela terá que colocar pacientemente a mão na munheca (pulso) do adulto como um sinal de que quer dizer algo, mas deverá esperar. Assim, o adulto saberá que quer dizer algo (porque ambos assim o terão acordado anteriormente) e lhe atenderá quando acabe de falar. 

Estas três formas são muito respeitosas com a criança e também com o adulto com o qual se está conversando. A criança só necessitará esperar uns minutos para que acabe com a conversa ou que possa fazer uma pausa e escutar a criança dando-lhe plena atenção. Mas, é claro, para que uma criança não interrompa, ela deverá ter um bom exemplo a seguir e o adulto deverá fazer exceções no caso de emergências. 

María José Roldán

Mestre e Psicopedagoga