Como a criança a aprende a ter medo

O que provoca o medo infantil e como solucioná-lo

Vilma Medina

Vilma Medina

Os medos são, como o amor e a dor, necessários no processo de aprendizagem e justamente como tal, são experiências que todos os seres humanos estão predestinados a viver. O que ocorre é que essas experiências assumem diferentes nuances de acordo com o ambiente em que se vive. 

Os pais ensinam naturalmente muitas coisas aos seus filhos, e uma delas é o medo, ainda que para eles, este ensino seja visto como uma forma de proteção para o seu filho. Por exemplo, se a criança se debruça na janela ou se mete debaixo das patas de um cavalo, a princípio a criança não teme nada. Somente se ela se machucar, ela vai aprender e terá medo

As crianças aprendem a ter medo

como-a-criança-aprende-a-ter-medo A

O medo está relacionado a um comportamento de outra pessoa. Quando uma criança se fere, ela experimenta uma sensação de dor, mas se estiver a ponto de viver uma situação de risco e alguém a avisar com exaltação do perigo, ela vai se assustar, pensar e terá medo. E isso é emoção. O medo não é uma experiência direta da criança. A dor sim. A dor é um aprendizado direto, e, portanto, a criança sabe exatamente o que ocorrerá. O medo é indireto, portanto não sabe o que vai acontecer.

O que fazer diante do medo das crianças

O medo infantil desaparecerá quando haja alguém que o destruir. Está claro que o medo é necessário. É necessário para sobreviver, diferenciar a realidade da fantasia e temer as situações reais de risco, como se jogar pela janela, sair voando como um super-herói. É necessário acrescentar que as diferenças para vivenciar os medos sempre serão individuais e muito pessoais porque haverá crianças que ainda aprendendo com situações reais com os medos dos seus pais, sejam mais ousadas que outras, e, portanto, menos medrosas. A estas crianças os pais devem ensinar os seus limites. Como, por exemplo: a criança não tem asas para voar como o Superman, etc. 

O medo é como um ‘vizinho esperto’, que se instala na casa. Se for bem recebido, seguramente ele ficará. É como um mago. Se você tira sua magia, ele perderá o seu encanto e deixará de ser um mago. Ao medo, as pessoas devem tirar o seu poder. E o poder sempre acontece pelo desconhecido. A varinha mágica é o desconhecimento. Por isso, os pais têm que explicar, de uma forma lógica, o que produz medo ao que sente. É primordial para quem queira destruir o medo de uma criança, que ela queira, acredite e esteja convencida que poderá fazê-lo. Existem diferentes medos na infância. Mas, em todos os casos, é mais fácil explicar o medo como se fosse um mago, um vizinho, meio esquisito, mas coletivo, para que a criança o compreenda melhor. 

Estratégias contra o medo, de acordo com a idade das crianças 

Crianças de 4 a 5 anos: Contar um conto inventando algo, um objeto mais próximo e conhecido pela criança, que seja uma varinha mágica para dar segurança. Exemplo: na história de Dumbo. Deu mais segurança para o elefantinho quando soube que para voar ele tinha que carregar uma pluminha mágica. Assim, Dumbo perdeu o medo de voar. 

Crianças de 6 e 7 anos: Acompanhar a criança no medo. Fazer com que se sinta segura. Colocar humor nas brincadeiras. Exemplos: brincadeira da lanterna no escuro. Se a criança imagina a presença de bruxas e/ou monstros no seu quarto durante a noite, brinque com ela durante o dia, apagando as luzes do quarto e fingindo ser um detetive, ou um pirata em busca de um tesouro. Assim, pouco a pouco o seu filho se acostumará com a escuridão. 

Crianças de 8 a 10 anos: Nesta idade já se pode explicar o medo e dar autonomia à criança para resolvê-los. A criança tem que se envolver. Sentir que o seu medo não tem sentido. Os pais devem induzir a criança a encontrar uma solução própria. É essencial que esteja convencida que o seu medo tem que acabar. Se continuar a sentir medo e você perceber que isso o está prejudicando nos seus estudos e na sua vida cotidiana, peça ajuda a um especialista em psicologia.

Os medos são sentimentos totalmente normais nas crianças e bebês

Os medos são sentimentos totalmente normais nas crianças e bebês

Se seu filho sofre por algum medo, é muito importante que lhe transmita tranquilidade, segurança, e o ajude a superar seus medos com muito carinho e compreensão. De uma forma geral, os medos podem aparecer em crianças de idade entre os 3 e 6 anos. A criança ainda não entende o mundo que a rodeia e tão pouco é capaz de separar o real do imaginário.

Ajude seu filho a superar os medos

Ajude seu filho a superar os medos

O medo das crianças e como os pais devem agir para ajudá-las. Em situações de ansiedade e de medo nas crianças, os pais devem ter muito claro que sua ajuda é de fundamental importância na superação de tais sentimentos. Os medos não constituem um grave problema mas devem ser resolvidos.

O que você não deve fazer quando seu filho sentir medo

O que você não deve fazer quando seu filho sentir medo

O medo das crianças. Como podemos reagir aos medos delas. Tão importante como saber o que fazer é o que NÃO se deve fazer quanto à superação do medo de uma criança. É muito importante que os pais respeitem e busquem entender os medos que seus filhos têm. Os medos são inevitáveis, mas controláveis se a criança conta com a confiança e a ajuda dos pais e responsáveis.

Crianças com medo de palhaços

Crianças com medo de palhaços

Os medos infantis são normais. Os pais devem ter muita paciência e sempre dar apoio e compreensão. O medo de palhaços, ou coulrofobia é algo muito comum não apenas em crianças, mas em adolescentes e adultos.

Como ensinar seus filhos a superarem os medos

Como ensinar seus filhos a superarem os medos

Muitas vezes desistimos de ajudar aos nossos filhos a superarem seus medos, seja porque ainda são muito pequenos e precisam de tempo, ou são medos arraigados na criança que são difíceis de tirar. Ser compreensivo e ter paciência com os medos do nosso filho são atitudes fundamentais.

Como fazer com que a criança perca o medo de avião

Como fazer com que a criança perca o medo de avião

A fobia de voar ou ao subir num avião não é exclusiva dos adultos. As crianças também podem sofrê-la. Nos casos mais graves, a gente tem que buscar ajuda de um especialista, mas a gente tem algumas dicas. As crianças se sentirão encantadas para subir em um avião.

0 comentarios