5 erros dos pais ao falar de sexo com os filhos

O que não devemos fazer ao falar de sexo com os filhos

Vilma Medina

Vilma Medina

Os pais têm um papel muito importante na educação sexual dos filhos. Transmitir às crianças temor, medo ou vergonha nos assuntos relacionados com a sexualidade só conseguirá com que adquiram complexos. 

A gente te conta quais são os erros mais comuns que os pais cometem na hora de falar de sexo com os filhos para que a gente possa evitar e transmitir-lhes assim uma forma responsável e segura de viver sua sexualidade. 

Atitudes que os pais devem evitar ao falar de sexo com os filhos

5-erros-dos-pais-ao-falar-de-sexo-filhos A 

Ensinar-lhes temas de sexualidade é algo mais do que falar-lhes de como funciona o aparelho reprodutor. Criar um clima de confiança onde a criança se sinta segura para expor suas dúvidas e encontrar respostas é a melhor forma para que tenham uma educação sexual sadia. Estes são os erros que temos que evitar no processo: 

1. Pensar que é necessário ser um sexólogo: Para falar de sexo com os filhos não temos que ser especialistas em sexologia. É um tema que faz parte da nossa vida, da mesma forma que falamos de educação, de brincadeiras ou de saúde. Todo mundo é capaz de fazê-lo e de conseguir um diálogo simples e correto diante dos filhos. 

2. Ver com os olhos de adulto a sexualidade infantil: Não tem nada a ver a sexualidade na infância e na vida adulta.  Os significados são diferentes. As crianças têm desejos e emoções, mas não têm as sensações eróticas que pode ter uma pessoa mais velha. Por exemplo, se a criança ou o bebê tem uma ereção, não se pode interpretar como uma excitação, mas como uma resposta física automática. 

3. Dar informação errônea às crianças: é um erro distorcer a realidade falando de cegonhas que trazem bebês ou histórias semelhantes para evitar falar de sexualidade. Não é necessário contar tudo. Há que esperar que a criança esteja preparada para fazer-lhe entender, mas se adaptar à idade não significa mentir, mas dar informações de forma gradual. 

4. Repreendê-lo diante de certas condutas: se pegarmos a criança tocando os genitais, não devemos repreendê-la ou castigá-la, já que considerará que está fazendo algo ruim e sujo, mas devemos orientá-la e ensiná-la que são atos que devem ser feitos em particular. 

5. Não falar de sexo: evitar os temas sexuais ou se negar a dar informação é uma forma de conseguir que as crianças vivam o sexo como algo proibido e tenham uma percepção errada do mesmo.

Alba Caraballo

Editora de GuiaInfantil.com

Educação sexual das crianças

Educação sexual das crianças

A criança é um ser sexuado, em relação consigo mesma e com os demais. A presença de manifestações e desejos sexuais em crianças, desde a pequena infância, foi uma das mais importantes polêmicas levantadas por Sigmund Freud, o pai da psicnálise, há quase um século. Imaginem o escândalo dessa tese para a sociedade da época! A partir dali os estudos sobre o tema não pararam, e hoje em dia, a educação sexual ocupa espaços em muitas escolas e em muitas famílias.

Falar de sexo com seu filho

Falar de sexo com seu filho

É conveniente falar de sexo com seu filho desde o momento em que ele começar a conhecer seu corpo e a dar nomes. Para as crianças é muito importante que cada parte do seu corpo tenha um nome e não um apelido.

Meu filho é homossexual?

Meu filho é homossexual?

A homossexualidade ainda assusta a muitos pais. Ainda não se sabe sobre como meninos começam a se comportar como meninas, ou por que se sentem atraídos por pessoas do mesmo sexo. Ignoram-se como chegaram a esta opção sexual.

Como falar de sexo com a criança adotada

Como falar de sexo com a criança adotada

Falar de sexo com uma criança sempre é um tema difícil para os pais. Quando você nota a necessidade de enfrentar a sexualidade com o seu filho, seja adotado ou não, a naturalidade e chamar as coisas pelo seu nome sempre pode ser a melhor maneira.

Educar as crianças para uma sexualidade sadia

Educar as crianças para uma sexualidade sadia

O sexo está presente desde o nascimento e é frequente que tanto meninos como meninas despertem o interesse e chame a atenção deles o peito da sua mãe ou o pênis do seu pai. É muito normal que, assim como faziam com suas mãos, elas queiram explorar seus genitais, especialmente quando começam a ter interesse pelo xixi e pelo cocô.

Papai, mamãe, como as crianças são feitas?

Papai, mamãe, como as crianças são feitas?

Qual é a nossa reação diante dessa pergunta? A gente se engasga com o que tivermos na boca, a gente fica vermelho, começamos a rir, fazemos com que nossos filhos fiquem envergonhados ou incapazes de entender a resposta? Qual a nossa reação?

0 comentarios