Quando o bebê não cresce o suficiente na gravidez

O que é o crescimento intrauterino retardado e como afeta o bebê

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Por Crescimento Intrauterino Retardado ou CIUR entendemos a alteração no crescimento do feto durante a gravidez. Esta patologia tem muitas causas, ainda que se desconheça a etiologia em quase 40% dos casos. 

As consequências do CIUR são muito variadas e contemplam um amplo leque delas e vão desde a descoberta sem consequências posteriores a atraso no aprendizado, atraso mental, alterações neurológicas ou do comportamento, entre outras. 

Tipos de crescimento Intrauterino Retardado no feto

quando-o-bebê-não-cresce-suficiente-gravidez A 

Dentro da ‘patologia CIUR’ podemos distinguir dois grandes grupos: 

1. CIUR tipo I ou simétrico: 

- Abrange 20% dos casos diagnosticados de CIUR (o menos frequente); 

- Seu diagnóstico é precoce (antes da 28ª semana de gravidez); 

- Causas frequentes: genética, drogas, infecções, exposição a teratógenos

- Alterações no feto: Microcefalia, diminuição do tamanho do cérebro e fígado. 

2. CIUR tipo II o assimétrico:

- Abrange 80% de casos diagnosticados de CIUR (o mais frequente). 

- Seu diagnóstico é tardio (depois da 28ª semana). 

- Causas frequentes: insuficiência placentária.

- Alterações no feto: cérebro normal, fígado diminuído.

Como tratar bebês como Crescimento Intrauterino Retardado

Os bebês que tenham sido diagnosticados de CIUR na época fetal são crianças que merecem um acompanhamento mais exaustivo que os restantes dos bebês, com a finalidade de detectar possíveis desvios da normalidade nos primeiros anos de vida.

O pediatra e a enfermeira de atenção primária irão avaliando os bebês tanto nas consultas de acompanhamento da ‘criança sadia’ como nas consultas extraordinárias que o profissional de saúde considere pertinentes. Prestarão especial atenção ao desenvolvimento psicomotor do bebê, sem alarmar aos progenitores, já que teremos em mente que o desenvolvimento é um processo contínuo que engloba desde a concepção até a maturidade. 

Como detectar as consequências do CIUR nas crianças

Podemos falar de alguns possíveis sinais de alerta, que são um desvio do padrão normal do desenvolvimento, sem supor forçadamente uma alteração neurológica, mas convém prestar muito mais atenção:

- Atraso nas aquisições (motoras, linguagem, etc.).

- Estagnação ou regressão nas habilidades adquiridas.

- Persistência de condutas próprias de etapas prévias.

- Presença de sinais físicos anormais: macro/microcefalia, arreflexia (ausência de reflexos normais), alterações físicas evidentes no rosto ou corpo.  

- Assimetrias posturais ou da função motora. 

- Qualidade não adequada das respostas.

- Formas atípicas de desenvolvimento.

Sabe-se que um diagnóstico precoce permite uma intervenção precoce, o que vai implicar numa melhora na qualidade de vida dos bebês afetados e diminuição das alterações no futuro. 

Sara Cañamero de León

Matrona