O agressor e a vítima da violência escolar

Onde e como ocorre a agressão na escola

Vilma Medina

Vilma Medina

Tanto o agressor como a vítima sofrem. Portanto, necessitam ser escutados, atendidos e tratados. Segundo José Maria Avilés, psicólogo, especialista e estudioso no tema “violência escolar”, assegura que 6% dos alunos são vítimas deste fenômeno. Mas adverte que é preciso tratar o agressor com prudência e não ver fantasmas onde não existem. A agressão escolar não é um problema novo nem isolado, e que o primeiro que tem que fazer nestes casos é identificar a vítima e o agressor. E ter a consciência de que ambos sofrem, e portanto, necessitam ser atendidos e tratados.

Onde e como ocorre a agressão

Diferente do mobbing ou violência no trabalho, a violência escolar ocorre nas escolas. Como se trata, na sua maioria, de uma agressão “invisìvel” para os adultos, os professores dificilmente terão conhecimento do que está acontecendo. O agressor fere a vítima nos banheiros, corredores, cantina, no pátio, reservando suas ações durante a ausência dos adultos. Em alguns casos, a agressão sobrepassa as paredes do colégio, passando a ser telefônico e inclusive pelo correio eletrônico, chamado cyberbullying.

O bullying pode ser sexual, quando existe um assédio, indução, e abuso sexual; pode tratar-se de uma exclusão social quando se ignora, se isola e se exclui ao outro; pode ser psicológica, quando existe uma perseguição, intimidação, tirania, chantagem, manipulação e ameaças ao outro; e pode ser física, quando se bate, empurra, organiza-se uma surra à vítima.

O autor do bullying

Normalmente, o agressor tem um comportamento provocador e de intimidação permanente.  Ele possui um modelo agressivo na resolução de conflitos, apresenta dificuldade de colocar-se no lugar do outro, vive uma relação familiar pouco afetiva, e tem muito pouca empatia. Segundo os especialistas, criminalistas e psicólogos, uma criança pode ser autor de bullying quando só espera e quer que façam sempre sua vontade, quando gosta de provar da sensação de poder, quando não se sente bem ou não desfruta com outras crianças,  se sofre intimidações ou algum tipo de abuso em casa, na escola ou na família, quando é frequentemente humilhado por adultos, ou quando vive sob constante pressão para que tenha êxito em suas atividades. Os agressores exercem sua ação contra sua vítima de diversas maneiras: batem, molestam, provocam, agridem com empurrões e socos, os chamam de uma forma desagradável ou depreciativa, geram fofocas, mentiras, boatos, os isolam do grupo, ofendem-nos e os anulam.

A vítima de bullying

Habitualmente, são crianças que não dispõem de recursos ou habilidades para reagir, são pouco sociáveis, sensíveis e frágeis, são os escravos do grupo, e não sabem revidar por vergonha ou por conformismo, sendo muito prejudicados por ameaças e agressões.

Causas da violência escolar

Causas da violência escolar

As causas do bullying podem estar nos modelos educativos a que são expostas as crianças. Em seu artigo intitulado Bullying: um medo de morte, a psicóloga e jornalista Henar L. Senovilla, afirma que as causas que podem fazer aparecer a agressão são incalculáveis, tanto nas formas em que se manifestam como nos prejuízos que ocasionam. Em geral as causas ou fatores que o provocam podem ser pessoais, familiares e escolares.

Violência escolar ou Bullying

Violência escolar ou Bullying

A violência escolar é uma ameaça às crianças. Bullying é uma palavra inglesa que significa intimidação. Infelizmente, é uma palavra que está em moda devido aos inúmeros casos de perseguição e agressões que se estão detectando nas escolas e colégios, e que estão levando a muitos estudantes a viverem situações verdadeiramente aterradoras.

Consequências da violência escolar

Consequências da violência escolar

As consequências do bullying são incalculáveis para a vítima e para o agressor. O bullying não está ligado a distinções sociais ou de sexo. Apesar da crença que os centros escolares situados em zonas menos favorecidas são por definição mais conflitivos, o certo é que o bullying faz-se presente em quase qualquer contexto. Em relação ao sexo, tão pouco apresenta diferenças, a menos no que diz respeito às vítimas, posto que no perfil do agressor, há predominância dos homens.

Papel dos pais diante da violência escolar

Papel dos pais diante da violência escolar

Que podem fazer os pais quando seu filho é o agressor ou a vítima na escola. A intervenção dos pais, tanto da vítima como do agressor, diante da ocorrência deste fenômeno é fundamentalmente necessária. Siga alguns conselhos de como devem reagir os pais.

O agressor e a vítima da violência escolar

O agressor e a vítima da violência escolar

Tanto o agressor como a vítima sofrem. Portanto, necessitam ser escutados, atendidos e tratados. Segundo José Maria Avilés, psicólogo, especialista e estudioso no tema “violência escolar”, assegura que 6% dos alunos são vítimas deste fenômeno. Mas adverte que é preciso tratar o agressor com prudência e não ver fantasmas onde não existem. A agressão escolar não é um problema novo nem isolado, e que o primeiro que tem que fazer nestes casos é identificar a vítima e o agressor. E ter a consciência de que ambos sofrem, e portanto, necessitam ser atendidos e tratados.

Prevenção e controle da violência escolar

Prevenção e controle da violência escolar

Tanto a família como a escola podem estabelecer regras para evitar a violência escolar. É possível proteger seu filho para que não se converta em um agressor ou em uma vítima de agressão? Claro que sim. Pelo menos existem algumas pautas que podem ajudar tanto a família como os educadores e a sociedade de um modo geral, a prevenir este fenômeno. Lutar contra o abuso é uma responsabilidade de todos. Cada parte implicada deve cumprir seu papel.

Livro sobre a violência nas escolas

Livro sobre a violência nas escolas

Violências nas escolas é um livro que apresenta um estudo analítico dos fenômenos de violência nas escolas, incluindo a descrição de muitas maneiras em que a violência se expressa, e exemplos explícitos de como a experiência de violência é vivida e sentida de acordo com os indivíduos envolvidos, em que as vítimas dos jovens estudantes não fazem parte necessariamente da comunidade escolar. Estes fenômenos incluem globalização e exclusão social.

Abuso de antibióticos em bebês e crianças

Abuso de antibióticos em bebês e crianças

O que são os antibióticos? A resistência aos antibióticos está se convertendo em um grande problema. Os antibióticos são medicamentos que combatem (ou previnem) infecções por bactérias. Os antibióticos não podem combater infecções virais tais como resfriados e gripe.

Meu filho pode estar sofrendo abuso sexual?

Meu filho pode estar sofrendo abuso sexual?

Como identificar quando meninos ou meninas sofrem abuso sexual. A criança que é vítima de abuso sexual prolongado, normalmente desenvolve uma perda da auto-estima, tem a sensação de que não vale nada e adquire uma perspectiva anormal da sexualidade. A criança pode ficar muito retraída, perder a confiança em todos os adultos e pode até chegar a pensar em suicídio.

Prevenção de abuso sexual na infância

Prevenção de abuso sexual na infância

Medidas preventivas contra a pederastia infantil. Prevenir o abuso sexual infantil é uma tarefa difícil para os pais, responsáveis, e a sociedade em geral, por isso todos devemos estar envolvidos nisso.

As consequências do abuso sexual infantil

As consequências do abuso sexual infantil

O que pode acontecer a uma criança que sofreu abuso sexual. O papel da família é essencial na recuperação física e emocional da criança que sofreu abuso sexual. A atenção que deverá proporcionar a esta criança não deve somente centrar-se no cuidado das suas lesões físicas, mas deve ser acompanhada por outros profissionais para dar-lhe também acompanhamento psicológico.

O que dizer e fazer com a criança que sofreu abuso sexual

O que dizer e fazer com a criança que sofreu abuso sexual

As crianças raramente inventam histórias de abuso sexual. Os que abusam sexualmente das crianças podem fazer com que a criança fique extremamente temerosa de revelar as ações do agressor, e somente quando fazemos um esforço para ajudá-la a sentir-se segura, é que se consegue que a criança fale livremente. Se uma criança diz que foi molestada sexualmente, os pais devem fazê-la sentir-se que o que passou não foi culpa sua. Os pais devem buscar ajuda médica, denunciá-lo, e levar a criança para um exame físico e ao psiquiatra para uma consulta.

25 comentarios

  • pedro cesar

    2013-05-28 14:05:52

    a minha escola esta trabalhando sobre os diversos tipos de bullying que são muitos comuns na comuniade

  • caroline

    2013-03-19 22:36:41

    eu tambem estou fazendo um trabalho sobre bullying e acho que tanto o agressor e a vitima sofre porque deve ter acontecido alguma coisa com ele para ele se tornar essa pessoa!!!!

  • anonima

    2012-11-09 14:46:08

    eu fiz um texto de opniao sobre o bulling, e sinceramente o bulling nao devia de existir deviamo ser todos felizes com as nossas diferenças. espero que que esteja nessa situaçao que enfrente o(s) agressore(s), sei que nao deve ser fácil mas têm que tentar por voces e por a vossa felecidade

  • regiane

    2012-10-18 16:31:18

    o meu filho ersta sendo perseguido na escola ,ele so tem 7 anos e a escola me ligua doto dia . falando que ele bateu em um enpurrou outro , eu sei que ele não e santo mais ele não briga sozinho pois ele me conta que foi inforcado e ninguem faz nada a ultima a tia da pirua enpurrou ele eu vi nimguem me falou ,porque emburei porque ele não presta e assim fai .O QUE EU FAZO?

  • juliana vitkosck

    2012-08-10 09:10:52

    tbm tenhu um trabalho sobre bullying

  • BARBAHRA DE SOUZA DIAS.

    2012-08-05 16:17:03

    GENTE PRA QUE BULLYING? VAMOS ACEITAR AS DIFERENCIAS DE LADO!!!!!!!! POR QUE ELES FICAM EM UMA SITUAÇÃO MUITO CRÍTICA SER DIFERENCIADA DAS OUTRAS PESSOAS!!! SABE O QUE LEVA O AGRESSOR A AGIR DESSE MODO?? QUERER SER MAIS POPULOSO, SENTIR- SE PODEROSO E OBTER UMA BOA IMAGEM DE SI MESMO. DIGA NÃO AO BULLYING!!!!

  • Thais♥

    2012-08-05 16:09:01

    Aparada é o siguinte: *PARA QUE BULLYING? Bullying é o caralho... VAI TOMAR NO CÚÚÚÚÚÚ.. POR QUE NÃO VAI FAZER BULLYING NA MÃE NO PAI ... TRADUZINDO NA PUTA QUE PARIO!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  • barbie

    2012-07-28 08:08:51

    sou bulinada e n faço nada ewstou certa ou errada?

  • izaodra

    2012-07-28 08:07:51

    eu ja fui e ainda sou bullynada na escola +eu tento mim conter para ñ arrumar brigas.

  • leandro

    2011-10-27 07:13:16

    eu nunca passei porisso então eu vou dizer tem que sofre muitas consequencias

  • sandro

    2011-09-28 05:26:38

    eu também estou fazendo um trabalho sobrebullying e acho que os agressores devem ser punido com suas proprias agreções

  • otavio

    2011-09-28 05:26:10

    eu tambem estou fazendo um trabalho sobre isso o bullying o tema e sobre os agressores

  • giulianni

    2011-05-24 14:50:43

    :o eu tenho o tabalho sober o bullying eu conrdo eese bullying ser violentos mal trata as pessoas.

  • Amanda

    2011-05-06 04:03:59

    Bullyng é coisa de quem não pensa... Eu quase sofri bullyng mais falei com meus pais e foi tudo resolvido não sofro mais........ Então quem sofre deve falar aos pais para eles tomarem um providencia.!>:(>:(>:(>:(

  • Roberta

    2011-03-25 11:44:16

    fui a escola e la me disserão que estavão tentando uma recuperação do agressor fiquei extremamente com raiva ao me depara com um mostro maior que meu filho minha vontade erra de fazer o mesmo com ele mas me contive também procurei saber qual erra a atitude do meu filho dentro da escola la me discerão que ele erra uma criança calma e muito educada que fazia sua obrigações escolares perfeitamente. fiquei sem uma resposta da direção que não tomou nenhuma atitude contra o agressor onde fez que meu não quizece ir mas a escola.

Ad