O bebê que foi salvo por um abraço

Vilma Medina

Vilma Medina

Os mais prejudicados em meio ao drama dos imigrantes são as crianças. Um bebê se apenas 4 meses e o seu salvador são os protagonistas da história do dia nos meios de comunicação e nas redes sociais. Uma história, que felizmente tem um final feliz. 

Miguel Blanco, um dos membros da equipe de Salvamento Marítimo fez parte da operação para resgatar as pessoas de duas embarcações que estavam à deriva na costa da Espanha, em que viajavam 16 pessoas de origem subsaariana que pretendiam chegar a Tarifa (Cádiz).    

A história por trás da imagem que se tornou viral

o-bebê-que-foi-salvo-por-um-abraço A 

Uma das pessoas que ia a bordo dos pequenos botes foi esse bebê a quem sua mãe já não tinha forças para sustentar. Somente em carregá-la nos braços Miguel soube que a criança tinha hipotermia. Depois os salvadores a envolveram em roupa seca; o instinto de Blanco o fez abraçá-la durante duas horas para lhe dar calor. Outro tripulante da embarcação tirou a fotografia daquele momento que em poucas horas deu a volta ao mundo. 

O gesto desse salvador permitiu que o bebê chegasse à costa com uma temperatura mais elevada evitando que o seu estado de saúde piorasse. Os esforços das equipes de resgate espanhóis foram muito aplaudidos. 

Um momento emocionante que nos fala da solidariedade que as crianças despertam; que são os seres mais indefesos e os que mais sofrem consequências das situações sociais que o mundo de hoje vive.  

Viviana Marín

Redatora de Guiainfantil.com

Como ajudar as crianças a resolverem seus conflitos

Como ajudar as crianças a resolverem seus conflitos

Toda criança já vivenciou alguma circunstância, especialmente com os irmãos ou na escola, em que tentou se defender e terminou com sentimentos de impotência, angústia ou incompreensão e talvez não estivesse preparada para enfrentar essas brigas ou mal-entendidos.

Como desenvolver a resiliência nas crianças

Como desenvolver a resiliência nas crianças

A resiliência é a capacidade que tem o ser humano para enfrentar as dificuldades, os problemas e as adversidades da vida, superá-las e transformá-las. Uma criança que tenha vivido na sua primeira infância alguma experiência traumática e de grande dor pode se recuperar e se sobrepor através da resiliência, e ainda será capaz de sair mais fortalecida. Poderia se dizer que a resiliência é uma força mais além da resistência.

As guerras e os conflitos atacam a inteligência infantil

As guerras e os conflitos atacam a inteligência infantil

As guerras que acontecem em todo o mundo atacam a inteligência infantil. Um estudo recente da ONU (Organização das Nações Unidas) diz que o prejuízo em crianças que vivem em áreas de conflito vai muito além das mortes e mutilações. O risco está no cérebro das crianças. 87 milhões de crianças de até 7 anos só sabem o que é viver em área de conflito. E isso as expõe a marcas que levarão para o resto de suas vidas.

O que a guerra faz às crianças

O que a guerra faz às crianças

Uma guerra, seja qual for, sempre haverá crianças vulneráveis. Por não haver guerra onde você vive, não quer dizer que ela não exista. Cinco anos de guerra na Síria tem afetado profundamente a vida de milhares de crianças que perderam suas casas, suas famílias e suas vidas. E isso não acontece apenas com uma ou duas crianças, e sim com várias delas não apenas na Síria, mas em todo o mundo.

Os 5 mandamentos de Harvard para ser um pai modelo

Os 5 mandamentos de Harvard para ser um pai modelo

É evidente que as crianças já não são as mesmas. E os psicólogos advertem: se perdermos de vista essas 5 normas básicas, o nosso filho terá sérios problemas quando adultos. Psicólogos da prestigiada Universidade de Harvard advogam em voltar ao passado em determinados aspectos. Contra a nova era digital eles resgatam uma série de premissas básicas que nenhum pai deveria esquecer.

0 comentarios