As guerras e os conflitos atacam a inteligência infantil

Vilma Medina Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

As guerras que acontecem em todo o mundo atacam a inteligência infantil. Um estudo recente da ONU (Organização das Nações Unidas) diz que o prejuízo em crianças que vivem em áreas de conflito vai muito além das mortes e mutilações. O risco está no cérebro das crianças. 87 milhões de crianças de até 7 anos só sabem o que é viver em área de conflito. E isso as expõe a marcas que levarão para o resto de suas vidas.

Crianças em perigo na primeira infância

as-guerras-e-os-conflitos-atacam-inteligência A

Justamente a primeira infância no fogo cruzado. A UNICEF garante que a vida entre explosões e metralhadoras destrói as conexões cerebrais, e roubam dessas crianças a saúde, o bem estar emocional e a capacidade de aprender. A ONU voltou a pedir aos países que não retenham os refugiados imigrantes menores de idade em centros de detenção, mas que procurem alternativas para o seu acolhimento. 

E não é apenas em áreas de conflito armado que muitas crianças têm problemas de desenvolvimento, mas também aquelas que convivem com a violência de gênero dentro das suas casas, com abusos sexuais, violência e falta de esperança. O afeto e o carinho podem transformar crianças. 

Falta de educação, abusos físicos e sexuais com crianças

O acesso à educação, por exemplo, é um dos maiores problemas dentro dos territórios em guerra. Na Síria, por exemplo, uma em cada 4 escolas no país já foi destruída. A ONU conta com dois milhões e cem mil crianças sem aula dentro do país e cerca de 700 mil nos países vizinhos. A Organização Save the Children (Salve as Crianças) estima que cerca de 26 mil crianças chegaram à Europa sem família, e passam por inúmeras dificuldades difíceis de aceitar, em condições realmente sub-humanas. Muitas estão sem alimentação, sem acompanhamento médico, sem exercício físico, e com um desenvolvimento físico e cognitivo em ruínas. A polícia européia já havia alertado para o desaparecimento de no mínimo 10 mil crianças na Europa nos últimos 2 anos. Essas crianças estão expostas a abusos físicos e sexuais. São os verdadeiros filhos da crise dos homens. 

Você pode pensar que nada pode fazer por essas crianças, mas que tal cuidar e proteger aquelas que estão por perto, na sua casa, precisando de carinho, atenção e vínculos fortes e valores para o seu desenvolvimento perfeito. Crianças saudáveis física e emocionalmente serão adultos preparados para enfrentar os desafios da vida.