Direito das crianças à alimentação

A alimentação é um dos Direitos básicos e de necessidade das crianças

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Todas as crianças têm direito a se alimentar. É o que diz, pelo menos, a Declaração dos Direitos da Criança, aprovada em 1959. No entanto, esse direito está muito longe de ser uma realidade, e o Direito das crianças à alimentação é esquecido todos os dias no mundo todo.

Como pais, é nossa responsabilidade velar pelo cumprimento desses Direitos, não somente em respeito aos nossos filhos, mas também num plano mais global que inclua a todas as crianças do mundo. O Direito de toda criança à alimentação não está sendo cumprido nos países em desenvolvimento, mas tão pouco no primeiro mundo.

As crianças necessitam de alimentação

O direito da criança de se alimentar

De acordo com a Declaração dos Direitos da Criança, todas as crianças devem ter garantida uma alimentação suficiente, acessível, duradoura e em condições saudáveis. Sabemos que esse direito não está sendo cumprido, que resulta essencial para o desenvolvimento físico e intelectual das crianças.

A alimentação é vital para qualquer criança ou adulto. Isso é algo que devemos fazer entender aos nossos filhos, e assim educá-los em solidariedade. Fazer com que nossos filhos sejam mais conscientes que a alimentação não é garantida para todos pode fazer com que mudem para melhor a sua relação com a comida. 

Esse direito à alimentação encontra-se junto com outros direitos fundamentais, como o da moradia, o direito à recreação e os serviços médicos adequados. E, se esse direito era vulnerado somente nos países subdesenvolvidos, hoje em dia vemos que em países mais ricos também está sendo transgredido.

Os problemas da alimentação nas crianças

Para algumas crianças sobra alimento e para outras falta. Existem crianças que não podem obter o alimento básico e sofrem com a desnutrição, enquanto que outros abusam dos alimentos que têm ao seu alcance de tal maneira que chegam a sofrer problemas de sobrepeso e obesidade infantil.

A má nutrição envolve os dois lados da moeda. Tanto as crianças que não têm acesso à alimentação diária, como as crianças que abusam dos açúcares e gorduras são malnutridas. E em ambos os casos, os riscos para a saúde são muitos. A diferença está em que uma criança com sobrepeso seguramente também terá ao seu alcance os serviços médicos adequados e uma criança desnutrida não.

O que está em nossas mãos para garantir esse Direito à alimentação é educar nossos filhos com certo sentido de responsabilidade na hora das refeições. Uma alimentação saudável, equilibrada e sem exageros, ensinará aos nossos filhos que os recursos são limitados e que devem ser compartilhados. Assim podemos fazê-los participantes de um problema que hoje não afeta a eles, mas sim a milhões de crianças em todo o mundo.

Laura Vélez. Redatora de Guiainfantil.com