Como aprender a aprender

Vilma Medina Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Em muitas ocasiões, as crianças têm uma excelente disposição para o estudo, mas, no entanto na prática passam muito tempo para memorizar uma lição ou poder compreender um conceito. Empregam o seu tempo sem colher os frutos do seu esforço e, portanto, acabam em se desmotivar e postergar o momento de estudar

Infelizmente, muitas vezes o fracasso ou ineficácia no estudo é provocado por uma falta de estratégias para fazê-lo e não a uma baixa inteligência ou problemas de atenção. 

Ensinar a criança a estudar

como-aprender-a-aprender A 

Nos primeiros anos do ensino primário, nossos filhos se encontram com o desafio de começar a estudar. Já não basta assistir a aula e prestar atenção; já faz falta a memorização, compreender a matéria, sintetizar, relacionar e explicar. O que vão aprender a partir desse momento lhes facilitará a vida... Para o resto da sua vida. 

O que os pais podem fazer? Como sempre, complementar o que os nossos filhos aprendem na escola; aproximarmos-nos da sua mente e mostrar-lhe realidades que aprenderão com entusiasmo porque lhes serão muito úteis. 

São muitas as crianças que passam horas e horas estudando sem obter bons resultados, num esforço com maus resultados, desmotivação, que poderá marcá-las na escola e ao longo do tempo, profissionalmente. É tão difícil aprender a aprender? Acredito que aprender é como aprender a vender, a planejar ou aprender a decidir. São coisas absolutamente vitais, que nem a gente nem nossos educadores têm dedicado o tempo que merece.  

Aprender a aprender não tem receita, ou receitinhas. Tem métodos, que tem que ser adquiridos, assimilados e utilizados. Vou citar algumas que são chave para o aprendizado: 

- Distinguir conceitos: diferenciar objetos ou palavras parecidas, buscar as diferenças. 

- Realizar definições: podemos começar dizendo o que ‘não’ são as coisas, para ir delimitando as possibilidades ou brincar de dar pistas para acertar algum objeto ou animal. 

- Associar idéias: empregar métodos de memorização (mnemônica) que nos permitam lembrar um nome ou coisa em relação a outras mais cotidianas.

- Concentrar-se: não perder o fio condutor ou a idéia central do que iremos estudar. 

- Esquematizar: realizar esquemas ou modelos em que uns conceitos dependam dos outros. 

- Sintetizar: fazer resumos ou poder responder a umas poucas perguntas centrais. 

- Meditar: refletir sobre o que se aprendeu. Não existe nenhuma matéria na escola que trate essas atividades da nossa mente e, no entanto, necessitamos realizá-las durante toda a vida. É importante que desde o início a gente direcione o nosso filho sobre como ele irá planejar seus estudos. 

Patro Gabaldón

Redatora de GuiaInfantil.com