10 conselhos para frear a agressividade infantil

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Um comportamento agressivo é aquele em que uma criança procura fazer dano físico ou psíquico a outra criança ou inclusive aos seus pais. Trata-se de uma ação premeditada manifestada através de chutes, arranhões, gritos, empurrões, xingamentos, mordidas, puxões de cabelo... 

Ter um comportamento agressivo faz com que a criança tenha complicações e dificuldades nas relações sociais. Impede uma correta integração em qualquer ambiente: na escola, em casa... Mas, como podemos ajudá-la? 

10 formas de controlar a conduta agressiva e violenta em crianças

10-conselhos-para-frear-agressividade-infantil A

1 – Identificar a causa que o está gerando: se tiver baixa autoestima, se não se sentir querida, desprezada... Ajude-a solucionar seu problema. Isso ajudará a mudar seu comportamento. 

2 – Criar um clima familiar de confiança para que possa expressar suas emoções. Devemos explicar-lhe que é normal se chatear ou se sentir aborrecido, mas a resposta não é bater, mas que pode nos dizer como está se sentindo e descarregar assim as suas emoções. 

3 – A intervenção precoce é muito mais efetiva. Não espere que a criança comece a mostrar um comportamento mais agressivo. Intervenha logo que você observar que a criança se sente frustrada ou que está se alterando. 

4 – Gerar oportunidades de obter êxito no seu dia a dia: felicitar-lhe por arrumar bem a cama, por recolher seu prato no jantar, por ter se vestido sozinho ou inclusive por ter se contido em determinado momento e não ter recorrido a uma conduta agressiva

5 – Ser um exemplo para a criança: nossa atitude não deve ser agressiva. Se a criança nos vê gritar, perder a paciência ou der ‘barracos’, a gente não deve se surpreender se elas se mostrem agressivas. Devemos ser coerentes e um modelo para os nossos filhos

6 – Se a violência é com a gente, a criança tenha ‘explodido’, gritado e insultado ou inclusive queira nos agredir, o melhor é se afastar. Está em plena explosão emocional e não está conseguindo raciocinar.

7 – Se o comportamento violento é em relação ao irmão ou outras crianças devemos freá-los com firmeza. Não devemos esperar que volte a bater. É preferível afastá-lo da criança e mandá-lo para o seu quarto para refletir ou afastá-lo de outras crianças explicando-lhe que poderá a brincar quando estiver pronto para fazê-lo sem machucar a ninguém. 

8 – Há que fazê-lo compreender depois que o seu comportamento não foi o adequado e inclusive realizar algum castigo privativo ou educativo, e é claro, a criança deve pedir perdão à pessoa que tenha feito dano. 

9 – Evitar com que assista muito à televisão, que tenha acesso aos videogames de conteúdo violento e buscar com que faça uma atividade física para canalizar sua energia. 

10 – No caso em que tenha colocado em prática tudo isso e nada funcionou, convém que você procure um terapeuta infantil para que possa encontrar a causa e canalizar suas emoções. Lembre-se que as crianças são agressivas porque aprendem a ser agressivas. Elas também podem deixar de sê-lo. 

Alba Caraballo

Editora de GuiaInfantil.com