Tratamento da conduta agressiva das crianças

Dicas que ajudam a controlar a conduta agressiva das crianças

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

O tratamento da conduta agressiva numa criança, em casos persistentes, deve ser submetido a um profissional especializado. O tipo de tratamento que se utilizará dependerá do resultado da avaliação feita. O primeiro passo é identificar, através de observações, conversas e entrevistas, os antecedentes (causas e reações à frustração) e as consequências (o que se ganha com a agressão) do comportamento agressivo da criança.

Como controlar a conduta agressiva da criança

Como separar as brigas dos filhos 

Levando em conta que a conduta agressiva de uma criança é um comportamento aprendido, isso indica que pode ser modificado. A compreensão dos pais e dos professores é muito importante. O castigo físico não é aconselhável em nenhum dos casos, porque seus geralmente negativos. A agressividade aumenta a ansiedade da criança. Se a gente se empenhar em mudar a conduta agressiva do nosso filho, e mantivermos a paciência e a perseverança, com certeza solucionaremos o problema.

A psicóloga Gloria Marsellach Umbert, autora do livro “Recetas del psicólogo en la red” (Receitas do psicólogo na rede), define algumas diretrizes sobre como solucionar o problema. Segundo ela se deve seguir um plano:

1 – Identificar o tipo de conduta, ou seja, o que realmente nosso filho está fazendo. Temos que ser objetivos e específicos na resposta. Se a criança esperneia, grita ou de que forma expressa sua agressividade.

2 – Anotar diariamente numa tabela, e durante uma semana, quantas vezes a criança tem conduta agressiva. Anotar o que provocou o comportamento agressivo. Será necessário registrar os porquês e as respostas. Anotar também em que momentos os ataques agressivos são mais frequentes.

3 – Escolher dois objetivos para modificar a conduta: minimizar a conduta agressiva e reforçar respostas alternativas desejáveis existentes no repertório de condutas da criança ou no ensino de habilidades sociais. Exemplos:

- Existem algumas condições que trazem à criança “consequências gratificantes” para sua conduta agressiva. Por exemplo, se um monitor de classes não está presente na hora do recreio, a criança agressiva sabe que se bater em seus companheiros, eles farão o que ele quiser. Se na escola alguém estiver vigiando evitará agressões.

- Reduzir o contato da criança com os padrões de agressividade. Mostre ao seu filho outros meios para solucionar os conflitos como o diálogo, o raciocínio, o estabelecimento de normas, etc. Se as crianças reparam que os adultos tentam resolver os problemas com tranquilidade, poderão imitar essa forma de agir.

- Os pais devem reduzir os estímulos que provocam a conduta agressiva. Ensine a criança a permanecer calma diante uma provocação.

- Recompense seu filho quando ele conseguir reagir cooperativamente e assertivamente.

4- Quando determinar o procedimento que vai utilizar ponha em prática o plano. Você deve continuar anotando a frequência com que seu filho pratica a conduta agressiva para assim comprovar se o procedimento que você está utilizando está sendo efetivo ou não. Comunique a todos os adultos, que fazem parte do entorno social, do plano escolhido para que também colaborem. Mantenha uma atitude relaxada e positiva, e logo notará progressos. No final, todos se sentirão melhor.