As mordidas das crianças em debate

Vilma Medina Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

O conflito entre os bebês e as crianças pequenas na escola infantil traz à discussão os limites que o comportamento infantil tem. Recentemente, a direção de uma creche na cidade de Alicante (Espanha) decidiu negar a entrada da instituição de um bebê de 15 meses por morder repetidamente aos seus companheiros. 

As mordidas das crianças são hoje a peça angular do debate entre os que aprovam e os que desaprovam essa decisão. A creche somente decidiu como uma medida cautelar para que a criança mudasse seu comportamento. A mordida é muito dolorosa em quem recebe e provoca conflitos sociais, já que as crianças, quando sofrem repetidas agressões tendem a marginalizar a criança que morde. Mas, por que o fazem? 

Razões pelas quais uma criança morde

as-mordidas-das-crianças-em-debate A 

Morder é uma maneira rápida de conseguir um brinquedo ou de chamar a atenção. A mordida também é utilizada como autodefesa, para chamar a atenção ou quando experimentam situações que lhes causam estresse, chateação ou frustração, devido ao nascimento de um irmãozinho ou quando se sentem agredidos. Outras crianças mordem simplesmente por imitação ou como resultado de uma disciplina excessiva ou como consequência de sua experiência como testemunha ou vítima de ações de violência física

O que fazer quando uma criança morde

Em primeiro lugar, a gente deve agir de forma coordenada e coerente em frentes diferentes. Pais e educadores devem mostrar firmeza diante das mordidas da criança porque de nada vale consentir-lhe em casa algo que não seja permitido na escola. Depois, convém explicar à criança que não se pode fazer dano e se sua atitude persiste convém separá-la do grupo e das brincadeiras explicando-lhe que não pode fazê-lo mais. Deve estar separado uns minutos, de 2 a 5 minutos dependendo da sua idade, permitindo-lhe pensar sobre o que tenha feito e dando-lhe a oportunidade de pedir desculpas ao seu companheiro para que reconheça o seu erro.  

No entanto, dizer a uma criança que morder não é correto, não é suficiente. É importante mostrar-lhe alternativas da mordida para conseguir o que quer como a utilização da linguagem, saber pedir ‘por favor’, inculcar-lhes os valores de respeito e tolerância e prestar-lhes especial atenção para que desenvolvam uma boa autoestima e confiança pessoal. Por outro lado, o que nunca se deve fazer é morder a criança que morde para mostrar-lhe como dói ou como forma de castigo, já que quando as crianças são muito pequenas, não podem relacionar a dor que elas sentem quando lhes mordem com a dor que causam quando mordem aos outros. Se a criança continua mordendo quanto já tem mais de três anos é necessário buscar a ajuda de um profissional.  

Marisol Nuevo

Guiainfantil.com