O que se deve esperar e exigir de uma creche ou escola infantil

Vilma Medina Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

O melhor lugar para os filhos estarem é na companhia dos seus pais. No entanto, existem circunstâncias como o trabalho e o desenvolvimento profissional dos pais que faz com que tenham que deixar seus filhos aos cuidados e atenção de creches ou escolas infantis, onde, dentre outras coisas, poderão começar a se relacionar com outras crianças da sua idade e aprender a conviver com os adultos. Acredito que não exista uma creche perfeita. O que pode existir é uma creche ideal para o seu filho

Como escolher bem uma escola infantil

o-que-se-deve-esperar-e-exigir-de-creche A

Escolher bem uma creche é de suma importância e, pela minha experiência, posso dizer que nem sempre a mais cara ou com magníficas instalações é a melhor. É natural que a maioria das mães seja influenciada por instalações boas: novas, modernas, com tecnologia e abundante material didático e diferente de todas as outras. É difícil não ser atraído pela primeira impressão, mas no meu ver, o que mais peso deve ter, como sempre, não é o local ou a aparência exterior do centro, mas as pessoas que fazem parte do centro educacional. 

Quando o pessoal do centro transmite profissionalismo, capacidade, sintonia com o nosso modo de pensar, educação, respeito e carinho pelas crianças, isso é o que mais deveria importar aos pais. 

Em ocasiões, é preferível renunciar às últimas novidades na vigilância dos nossos filhos ou a métodos revolucionários na educação infantil, pelo cuidado amoroso e ambiente acolhedor em que nossos filhos dêem continuidade ao nosso lar. Afinal, as crianças ainda são muito pequenas para aproveitar plenamente uma formação ou instalações requintadas. A adaptação dos nossos filhos a um ambiente de segurança e carinho é muito mais importante nessas idades. Mas, ao mesmo tempo, ainda que tenhamos escolhido uma creche acessível ou tradicional, a gente não deve renunciar que o local cumpra as normativas necessárias para cuidar dos nossos pequenos: instalações, segurança, higiene da escola e alimentos, número de crianças por sala, áreas de recreio, materiais, etc.

Seja qual for nossa opção, não devemos permitir que nosso filho de maneira habitual, saia com o bumbum sujo, com agressões ou mordidas, ou qualquer indício de negligência. A educadora ou monitora deve nos informar pontualmente da sua adaptação, de possíveis problemas acontecidos no dia a dia, ou dar-nos as explicações pertinentes diante de qualquer acidente ou problema pontual. Estabelecer um clima de confiança e de comunicação por ambas as partes é fundamental: não é bom que o pessoal da creche se sinta constantemente vigiado sob nosso olhar crítico, e tão pouco é desejável a ocultação de informação ou o trânsito dos pais pelas instalações. Às vezes, o boca a boca, é a melhor publicidade do procedimento de uma creche. 

Mirna Santos

Redatora de GuiaInfantil.com