Os pais devem defender as crianças de outras crianças?

Como os pais devem se comportar diante de uma briga entre crianças

Vilma Medina Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Este tema sobre defender ou não as crianças de outras crianças não está isento de controvérsias, mas no meu ponto de vista é muito fácil entender, e com este artigo pretendo que você também entenda. As crianças quando são pequenas, e desde que o mundo é mundo já brigaram entre elas ou já se agrediram seja por brincar com o mesmo brinquedo ou porque consideravam uma forma de comunicação, equivocada e mal aprendida. 

Este comportamento é possível ver de forma habitual em escolas e creches e também em universidades. Desgraçadamente, quando o comportamento negativo chega tão longe é porque algo ruim se tem feito durante muito tempo ao redor do menino ou da menina. 

Sempre se deve corrigir e intervir diante de uma briga infantil

os-pais-devem-defender-as-crianças A 

Se esse comportamento agressivo não é corrigido o quanto antes, as crianças pensarão que é uma forma correta de comunicação e continuarão agindo desse modo equivocado. É dever dos pais corrigir as condutas negativas enquanto ocorrem, assim como de adultos que estão próximos do menino ou da menina no momento da agressão

Se um adulto (seja quem for) olha para o outro lado quando uma criança agride a outra, o pequeno estará recebendo uma mensagem muito equivocada: ‘não importa que bata no outro, está permitido’. Esta mensagem é uma catástrofe tanto para o desenvolvimento social da criança agressora como o sentimento de indefesa e abandono que a vítima sente ao ser agredida, sabendo que um adulto, modelo de exemplo e proteção presenciou tudo e não a defendeu. 

Se um adulto presencia que uma criança está agredindo a outra, sempre deverá intervir na disputa para conseguir objetivos essenciais: que o agressor sinta que esse comportamento não é adequado e que não é permitido nem aprovado por ninguém, e para que o menor que está sendo agredido sinta proteção e também aprenda que não se deve fazer e evitar assim que esse mesmo erro se repita no futuro com outras crianças. 

Você já imaginou alguma vez que estivesse caminhando pela rua, outro adulto batesse em você e outros adultos ao redor rissem de você? Como seria a sua reação? Você acharia correto? Estou segura que não e por esse motivo tão pouco se deve jamais que uma criança seja agredida por outra. Os adultos somos nós, e nós temos que ser seu exemplo, seu guia diante dessas circunstâncias e aqueles que mostrarão a importância das boas atitudes, do respeito e da tolerância uns com os outros. Por esse motivo, sempre haverá que intervir e jamais permitir este tipo de comportamento. A solução deve ser conseguida com a empatia, respeito por ambos os lados e sabendo resolver o conflito da melhor forma possível, porque quando uma criança bate em outra, nunca é ‘coisa de criança’.  

María José Roldán

Mestre em Educação Especial (Pedagogia Terapêutica)

Psicopedagoga