A síndrome de Wendy ou da mãe superprotetora

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Eu reconheço. Às vezes eu me sinto um pouco Wendy. Sou incapaz de deixar que minha filha leve um exercício à escola sem terminar. Ou que chegue tarde porque está com preguiça de se despertar. Eu sofro com cada um dos seus tropeços. E com suas desilusões. Sou incapaz de deixar o seu quarto desordenado e tento deixar as coisas mais fáceis para ela.

Reconhecer o problema é o primeiro passo. Sei que isso não faz nenhum bem a ela. Sei que é a contra-educação. Fazer de tudo para que a criança não tenha problemas só pode aumentar o problema, e formar uma criança preguiçosa, desmotivada e com pouca capacidade para tolerar a frustração.

O que é a síndrome de Wendy nas mães

a-síndrome-de-wendy-ou-mãe-superprotetora A

No conto de Peter Pan, Peter representava a esse adulto que não quer crescer, que se nega a amadurecer, que nunca quer enfrentar suas responsabilidades. Peter Pan quer ser uma criança para sempre. Wendy, no entanto, é a pessoa que vela por ele, o protege e faz todo o possível para que nada aconteça com ele. A mãe Wendy é aquela mãe superprotetora, que está sempre atendendo ao seu filho, esquecendo inclusive que ela também necessita de tempo e espaço para ela.

Por que isso acontece? A síndrome de Wendy não é ruim, mas pode ser prejudicial para os filhos se for levada ao extremo. Os psicólogos dizem que é típico de pessoas que na sua infância sentiram carência afetiva, uma falta de atenção. Mais tarde, como mães ou como pais, querem evitar a todo custo esse sentimento nos seus filhos, e fazem completamente o contrário: estar constantemente em cima deles.

Sintomas da síndrome de Wendy em uma mãe ou um pai 

Quando a mãe ou o pai tem a síndrome de Wendy, eles procuram a todo custo ser importantes na vida dos seus filhos e na família. E mais: necessitam se sentir imprescindíveis. Por isso, eles se responsabilizam de todas as tarefas possíveis. Essas são algumas características das pessoas que sofrem esta necessidade:

- Se encarregam de realizar todas as tarefas de casa possíveis para que as crianças não tenham que fazê-las (varrer, recolher roupas, brinquedos, fazer a comida...).

- Tentam evitar a frustração dos seus filhos, eliminando obstáculos do seu caminho (deixam que o filho sempre ganhe nos jogos, arrumar sua mochila para não esquecer os deveres em casa...).

- São mães e pais controladores.

- Buscam agradar constantemente aos outros, renunciando inclusive as suas próprias necessidades. 

- São mães e pais que se sacrificam pelos seus filhos. São capazes de fazer qualquer coisa por eles.

- Evitam as discussões. Não gostam de molestar a ninguém. Fogem de situações de conflito. 

- Tem um grande instinto de proteção e cuidado com as crianças.

A solução contra essa atitude é dar-se conta e reagir: dizer NÃO. Não assumir todas as tarefas. Não se responsabilizar do que os outros fazem. Não solucionar todos os problemas. Não se sacrificar de forma constante. 

Essa mãe deve dedicar tempo e espaço para ela mesma. É possível ser uma mãe protetora sem a necessidade de ser Wendy.

Estefanía Esteban

Redatora de GuiaInfantil.com