Relação entre irmãos: ter um irmão mais velho

Vilma Medina Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Quando eu comecei ir à escola, eu tinha seis irmãos em cursos superiores. Ainda que esteja claro que hoje em dia isso não seja nada comum, esta situação tinha muito mais vantagens do que desvantagens no âmbito escolar. O que eu nunca irei me esquecer é que ninguém, mas ninguém mesmo, se atrevia a se meter comigo. 

A relação com o irmão mais velho

relação-entre-irmãos-ter-um-irmão-mais-velho A

Ter irmãos mais velhos, para que nos enganarmos, é maravilhoso na maioria dos casos. O mais velho (ou os mais velhos) é o máximo e o principal responsável diante de qualquer travessura ou presepada que cometam vários irmãos juntos. Sobre o mais velho caem todas as repreensões por ser o modelo que o pequeno terá que seguir. O mais velho ajuda (ainda que seja muito de vez em quando) aos pequenos nas suas tarefas. Eles apóiam os menores nos seus pequenos dramas escolares.

São exemplo e estímulo para os menores naquilo em que se destacam. São a porta de entrada ao mundo dos cursos superiores. São o que ‘pagam o pato’ da inexperiência dos pais na hora de enfrentar as novidades no crescimento dos filhos, e os que indicam o caminho a recorrer. São os que ‘chegam mais tarde’ às coisas de maiores porque têm irmãos pequenos, ou, pelo contrário, os que facilitam o acesso precoce dos pequenos às coisas maiores. 

Mas, por outro lado, um irmão mais velho também pode ser uma dor de cabeça para os pequenos. É o mais forte, ele tem o poder, e, sem dúvida, fará uso dele para o bem ou para o mal. O irmão mais velho pode exercer o direito de intimidar e humilhar, ainda que nunca permita que um estranho o faça. É o que goza de certos privilégios de irmãos mais velhos que ficam vetados aos menores: é o que anda de bicicleta pela estrada, o que sobe com o papai e a mamãe à montanha, etc. É o que muitas vezes tomará mais tempo de papai e mamãe quando existem problemas com os estudos. 

Agora não é tão frequente, mas antes, como me contaram a carga de responsabilidade para o filho maior no cuidado dos irmãos menores estava na ordem do dia e podia ser muito grande. Como tudo de bom nessa vida, ter um irmão mais velho implica em sacrifícios e alguma ou outra lágrima para quem o desfruta; mas, é inegável que os que têm um ou vários irmãos não trocariam jamais em ser o primogênito ou unigênito. 

Patro Gabaldon

Redatora de GuiaInfantil.com