A cesárea supera a metade dos partos no Brasil

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Ainda que a quantidade de partos por cesárea não deveria, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), superar 15% dos partos, a prática desse método em muitos países continua aumentando. Um deles, o Brasil, se converteu no país com mais cesáreas do mundo. 52% dos partos que ali são realizados são por cesárea. Por quê? 

Por que se fazem tantas cesáreas

a-cesárea-supera-metade-dos-partos-brasil A

Por que em muitos países o parto por cesárea já é um costume e uma escolha? Na Espanha, a mãe é consultada sobre qual tipo de parto vai querer. Na teoria, o parto por cesárea é um método que deve ser justificado apenas pelos médicos, no caso, por exemplo, em que não haja dilatação ou o canal de saída seja menor que o bebê, quando o bebê vai sair em má posição, ou seja, de nádegas ou envolto no cordão umbilical, ou inclusive quando se detecta sofrimento fetal agudo

Não se pode ignorar que um parto por cesárea é uma operação com riscos, que pode produzir lesões, tanto na mãe como no bebê. Pouquíssimas mulheres sabem que a cesárea aumenta o risco de um nascimento prematuro devido a que possa haver um erro de até uma semana no cálculo do estado de gestação nas cesáreas programadas. Um parto prematuro pode causar dificuldades respiratórias e problemas no aleitamento materno. A cesárea é um método para salvar vidas e não uma opção a escolher. 

Por que existem mais cesáreas no Brasil 

No Brasil, o parto por cesárea deixou de ser uma técnica para salvar vidas e se tornou em uma norma frequente e usual entre as mulheres brasileiras. Nas clínicas particulares, mais de 80% dos bebês nascem por cesárea e em alguns casos o índice alcança 90%. 

Vários fatores contribuem para que o Brasil tenha muitos partos por cesárea. O que mais contribui com isso é a falta de informação. As mulheres não são informadas sobre as vantagens e desvantagens deste método. Além disso, deve-se considerar a má gestão do sistema de saúde que dá lugar a que, por motivos financeiros, se pratiquem muito mais partos por cesárea do que por via natural, uma vez que uma cesárea no sistema público ou privado custa muito mais, com mais equipamentos e profissionais envolvidos. 

Além disso, a infraestrutura humana nos hospitais foi mudando com o tempo. O trabalho das parteiras e enfermeiras está cada vez mais desvalorizado nos hospitais. Faltam doulas, anestesistas, camas, etc. É mais fácil e cômodo para eles um parto programado, especialmente nas clínicas particulares, onde ter um espaço físico só para partos naturais não gera dinheiro. No caso das cesáreas é necessário empregar mais equipamentos, e, portanto, economicamente rende muito mais.  

A falta de informação das mulheres sobre a cesárea faz com que este método se torne o mais recomendado e mais desejado. Existem crenças equivocadas de que o parto normal possa provocar com que a vagina fique muito grande, e que, portanto, possa causar problemas futuros nas relações sexuais com seus companheiros. E eu me pergunto: ‘como uma mulher pode dar mais importância a isso do que ao bem estar do seu bebê? 

Vilma Medina

Diretora de GuiaInfantil.com