Qual é o melhor momento para engravidar?

Como saber qual é o momento mais adequado para ficar grávida

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Ficar grávida depende e muitas coisas: nossos desejos, nossos planos, nossa condição física, financeira, nosso meio, etc. Como podemos mensurar todos esses fatores para escolher o momento adequado? Quando pensamos em ter um filho, isso pode acontecer em diferentes situações.

O momento perfeito para conseguir uma gravidez

Momento ideal para ficar grávida

Existem casais que não planejam e simplesmente a gravidez vem e eles acolhem seu filho em suas vidas; outros querem ser pais, mas esperam até encontrar o momento adequado; outros que planejam até o mês que devem engravidar para que se encaixe dentro dos seus planos de trabalho, casa, formação, idade e inclusive preferências entre um horóscopo e outro; e, por último, os que desejam muito, mas não conseguem uma gravidez com facilidade. 

Desde o ponto de vista físico da mulher, o melhor momento segundo os médicos, seria na casa dos vinte anos, momento em que a mulher está perfeitamente desenvolvida e tem muito mais capacidade reprodutiva que uma mulher mais velha: mais possibilidades de conceber e um risco menor de ter um filho com problemas físicos.

Normalmente, pode-se considerar uma gravidez tardia a partir dos 35 ou 40 anos, idade em que a reprodução se dificulta e existem mais possibilidades de que aconteça qualquer dificuldade na gravidez, no parto ou com a saúde do bebê. 

As condições físicas são importantes, mas também são muito importantes os aspectos de maturidade do casal. Muitas pessoas não tão jovens estão mais preparadas para acolher a um novo membro porque oferecem uma estabilidade emocional e social melhor.

Cada vez a busca em obter uma estabilidade econômica e social faz com que os casais tenham filhos cada vez mais tarde. O que acontece é que cada vez mais aumenta o número de mulheres que tem seu primogênito a partir dos trinta ou inclusive dos quarenta anos, algo que não implica necessariamente que terão uma gravidez de risco ou um bebê doente. 

Também existem casos tristes de casais que desejam muito, mas que não conseguem, mesmo sem terem problemas aparentes de fertilidade. Parece que a maturidade física e emocional nem sempre andam juntas: uma criança de 12 anos poderia ser mãe, mas demoraria muitos anos ainda para adquirir uma maturidade emocional adequada.

Suponho então, que o melhor momento para uma gravidez sadia é aquele que oferece a suficiente juventude e uma boa energia para o cuidado do bebê, e por sua vez, suficiente maturidade e estabilidade social para acolher a um filho ou filha com a serenidade, paciência e tranquilidade que requer sua educação. 

Muitas vezes não se consegue escolher o momento, mas o momento escolhe a gente. O melhor seria combinar a prudência com a responsabilidade e a disposição de que uma nova vida venha a fazer parte da nossa. 

Patro Gabaldón. Redatora